Publicidade

A bola começa a rolar pela Premier League nesta sexta-feira. O encerramento da janela da transferências – fechou nesta quinta-feira – foi agitado. Os clubes ingleses movimentaram 1,41 bilhão de euros (R$ 6,2 bilhões) em reforços.

LEIA MAIS

Top 10: os brasileiros mais caros na história da Premier League
As contratações mais caras das últimas dez janelas da Premier League
De Kepa a CR7: os mais caros por posição na janela de transferências
Kepa se torna o reforço mais caro da história do Chelsea: veja o Top 10
Doze jogadores que trabalharam com Guardiola e Mourinho

Publicidade

O clube que mais gastou em contratações foi o Liverpool. Além dele, mais quatro times ultrapassaram a casa dos 100 milhões de euros em reforços. Na contramão, o Tottenham foi o único clube da Premier League que não desembolsou um centavo – não contratou ninguém. Veja as contratações mais caras de cada time

Os reforços mais caros dos clubes da Premier League

Manchester City

Atual campeão da Premier League, o City gastou, ao todo, 71,19 milhões de euros (R$ 313 milhões) em contratações nesta janela. O principal reforço (e mais caro) foi Mahrez. Para tirá-lo do Leicester, o clube desembolsou 67,8 milhões de euros (R$ 298 milhões).

Chelsea

Publicidade

É o dono do reforço mais caro desta janela da Premier League. O goleiro Kepa custou 80 milhões de euros (R$ 351 milhões), valor da multa rescisória da época de Athletic de Bilbao. Ao todo, o Chelsea gastou 137 milhões de euros (R$ 602 milhões) – o brasileiro naturalizado Jorginho foi contratado por 57 milhões de euros (R$ 250 milhões).

Liverpool

Movimentou a janela de transferências com quatro contratações de impacto (Alisson, Keita, Fabinho e Shaqiri). Ao todo, o Liverpool desembolsou 182,2 milhões de euros (R$ 801 milhões) em reforços, sendo o mais caro o goleiro brasileiro Alisson – 62,5 milhões de euros (R$ 274 milhões).

Publicidade

Manchester United

O técnico Mourinho queria mais reforços. O Manchester United, nesta janela, contratou Fred, Dalot e Lee Grant. Com eles, o United gastou 82,7 milhões de euros (R$ 363 milhões). O volante brasileiro foi o mais caro – custou 59 milhões de euros (R$ 259 milhões).

Arsenal

Publicidade

Ao todo, o clube londrino gastou 79 milhões de euros (R$ 347 milhões) em reforços, sendo o volante uruguaio Lucas Torreira o mais caro – custou 30 milhões de euros (R$ 131 milhões).

Everton

O clube agitou o último dia da janela de transferências, anunciando três reforços: Bernard, Mina e André Gomes. Ao todo, o Everton gastou 91,9 milhões de euros (R$ 404 milhões). O reforço mais caro foi o brasileiro Richarlison – 39,2 milhões de euros (R$ 172 milhões).

Publicidade

Leicester

Outro clube a passar da casa dos 100 milhões de euros em reforços, o Leicester contratou sete peças, sendo a mais cara o meia James Maddison, que custou 25 milhões de euros (R$ 109 milhões). Ao todo, o clube gastou 114,6 milhões de euros (R$ 503 milhões).

West Ham

Publicidade

Com a contratação mais cara de sua história (o brasileiro Felipe Anderson), o West Ham fechou a janela com gastos de 103,85 milhões de euros (R$ 456 milhões) em reforços, sendo 38 milhões de euros (R$ 167 milhões) por Felipe.

Southampton

O zagueiro Jannik Vestergaard foi o mais caro do Southampton. Ele custou 25 milhões de euros (R$ 109 milhões) do total de 62,25 milhões de euros (R$ 273 milhões) que o clube gastou no mercado da bola.

Publicidade

Fulham

No retorno à Premier League, o Fulham não economizou e gastou, ao todo, 114,15 milhões de euros (R$ 501 milhões). O meias Jean Michael Seri e Zambo Anguissa custaram, cada, 30 milhões de euros (R$ 131 milhões).

Crystal Palace

Publicidade

Econônimo no mercado da bola, o Crystal Palace gastou apenas com Kouyaté. O meio-campista custou 10,7 milhões de euros (R$ 47 milhões).

Burnley

As três contratações, somadas, custaram 33 milhões de euros (R$ 145 milhões). O zagueiro Ben Gibson foi o reforço mais caro do Burnley. Ele custou 16,9 milhões de euros (R$ 74 milhões).

Brighton

Ao todo, o clube investiu 69,9 milhões de euros (R$ 307 milhões) em reforços. O atacante Alireza Jahanbakhsh foi o mais caro. Ele custou 19 milhões de euros (R$ 83 milhões).

Newcastle

O time comandado por Rafa Benítez gastou 34,63 milhões de euros (R$ 152 milhões) no mercado da bola. O reforço mais caro do Newcastle foi o atacante japonês Yoshinori Muto, contratado por 10,7 milhões de euros (R$ 47 milhões).

Watford

O clube investiu 25,05 milhões de euros (R$ 110 milhões) em contratações. O reforço mais caro do Watford foi o atacante Gerard Deulofeu, que custou 13 milhões de euros (R$ 57 milhões).

Wolverhampton

Também de volta à Premier League, o Wolverhampton gastou 70 milhões de euros em reforços (R$ 307 milhões). A contratação mais cara foi a de Adama Traoré, atacante que custou 20 milhões de euros (R$ 87 milhões).

Bournemouth

Investiu 51,3 milhões de euros (R$ 225 milhões) em contratações. O reforço mais caro do Bournemouth foi o meia colombiano Jefferson Lerma, que custou 28 milhões de euros (R$ 123 milhões).

Huddersfield

Gastou 46,5 milhões de euros (R$ 204 milhões) em reforços, sendo o zagueiro Terence Kongolo o mais caro – 20 milhões de euros (R$ 87 milhões).

Cardiff

Terceiro clube que subiu para a Premier League, o Cardiff desembolsou 30,75 milhões de euros (R$ 135 milhões) em reforços, sendo 11,4 milhões de (R$ 50 milhões) pelo atacante Josh Murphy.

* Dados do “Transfermarkt”