Publicidade

A Seleção Brasileira estreou bem na Copa América 2019, com a vitória sobre a Bolívia. Mas, como diz a máxima, “no futebol não há mais bobo. Vale lembrar que o Brasil vem de campanhas não muito boas nas duas últimas edições. É preciso manter a atenção e, pensando assim, o Mais Que Um Jogo fez um levantamento de cinco fiascos do Brasil na Copa América. Confira abaixo.

Brasil 0 x 4 Chile – Copa América de 1987

Carlos Alberto Silva era o técnico da Seleção Brasileira na Copa América de 1987 – Reprodução TV

Os chilenos humilharam o Brasil logo na primeira fase da competição. Foi a vitória com placar mais confortável do Chile sobre a Seleção Brasileira. A partida aconteceu no Chateau Carreras e os gols foram marcados por Letelier (2) e Ivo Alexis Basay Hatibovic (2). O técnico era Carlos Alberto Silva.

Publicidade

Brasil 2 x 3 Chile – Copa América de 1993

Já era época de Cafu na lateral direita em 1993

Após empatar sem gols na estreia com o Peru, em 1993 a Seleção Brasileira, dirigida por Parreira, acabou derrotada pelo Chile por 3 a 2. Com a combinação de resultados, a equipe verde-amarela enfrentou a Argentina nas quartas de final e acabou eliminada.

Brasil 0 x 2 Honduras – Copa América de 2001

A derrota para Honduras, por 2 a 0, foi certamente um dos maiores fiascos do Brasil em Copa América

Publicidade

Felipão era o treinador na época. Certamente não foi o maior fiasco do treinador à frente da Seleção – não dá para esquecer o 7 a 1, certo? – mas, em se tratando de Copa América… O Brasil foi eliminado por Honduras nas quartas de final da competição, em 2001, com uma derrota por 2 a 0. Para piorar, o time também estava mal colocado nas eliminatórias para a Copa de 2002. Porém, após a eliminação no torneio, a equipe conseguiu boas vitórias na reta final. Classificou-se para a Copa e se sagrou campeã no Mundial.

Brasil 0 x 0 Paraguai (0 x 2 nos pênaltis) – Copa América de 2011

Sequência inacreditável de pênaltis desperdiçados eliminou o Brasil – Reprodução TV

Foram dois empates, contra a Venezuela (0 a 0) e Paraguai (2 a 2) e a vitória sobre o Equador (4 a 2) na primeira fase. Mas o time não deslanchou, O Paraguai voltaria a ser o adversário brasileiro nas quartas de final. Novo empate sem gols no tempo regulamentar. Nos pênaltis, aconteceu o maior festival de erros de cobranças por parte de uma equipe. Sem conseguir converter cobrança alguma em gol, os paraguaios fizeram 2 a 0 e se classificaram.

Brasil 1 x 1 Paraguai (3 x 4) – Copa América de 2015

Thiago Silva reclama com o árbitro Andrés Cunha após marcação do pênalti contra o Brasil – MowaPress/Divulgação

Publicidade

Dunga assumiu a Seleção e montou o time, mas as apostas estavam todas em Neymar. O craque estreou bem contra o Peru, marcando o seu na vitória por 2 a 1. Porém, sua expulsão na vitória sobre a Colômbia (1 x 0) fez o rendimento do time cair. Sem o seu principal astro, o Brasil venceu a Venezuela por 2 a 1. Aí veio o fantasma das penalidades (e do Paraguai) nas quartas de final. A partida foi disputada e terminou com 1 a 1 no tempo normal. Nos pênaltis, deu Paraguai de novo.

 

Leia também

Publicidade

Os atletas mais valiosos da Copa América: brasileiros dominam Top 10

Confira oito grandes momentos do Brasil na Copa América