Publicidade

A queda de Zidane no Real Madrid é questão de tempo, conforme análise de periódicos espanhóis. Os sintomas seriam exaustão, desgaste e distanciamento. Tudo isso aponta para o fim do ciclo do Real Madrid de Zinedine Zidane, mas não neste momento. De acordo com a imprensa esportiva local, os dirigentes não pretendem tomar decisões drásticas de imediato. No entanto, aguardam o fim da temporada para lançar um novo Real Madrid.

Zinedine Zidane está com os dias contados no Real Madrid, mas não será demitido agora. Dirigentes vão aguardar o fim da temporada – Foto: JORGE GUERRERO/AFP via Getty Images

O clube ainda pode conquistar dois títulos. Mas o desgaste sofrido por Zidane e alguns de seus jogadores é maior do que a possibilidade de vencer o Espanhol ou a Champions League. O Real Madrid nem sequer está entre os favoritos nessas duas competições.

Zidane não pretende pedir demissão, apesar do fracasso histórico desta quarta-fira. O Real Madrid eliminado logo na estreia da Copa do Rei, mas não apenas isso. Caiu diante do Alcoyano, um time da terceira divisão da Espanha, que tinha um jogador a menos na prorrogação. Foi a segunda eliminação em duas semanas, pois na última quinta-feira o Real Madrid caiu na semifinal da Supercopa para o Athletic Bilbao. É um clube que não está habituado a digerir duas derrotas de títulos em apenas seis dias.

A queda melancólica o Real Madrid diante do Athletic Bilbao: duas eliminações em seis dias – Foto: JORGE GUERRERO/AFP via Getty Images

Mudança total

Publicidade

“Vamos continuar trabalhando para esquecer isso. Não gostamos de perder, mas não vamos enlouquecer. Vamos pensar e continuar trabalhando”, disse o treinador após a derrota desta quarta-feira.

De acordo com o diário MARCA, o elenco também vai passar por mudanças radicais. Alguns jogadores não vão continuar na casa, entre eles o brasileiro Marcelo. Já escreveram as suas melhores páginas defendendo o clube, mas e não tem volta. Os nomes de Marcelo e Isco são um exemplo claro de que nem todos os jogadores têm a garantia de continuidade. O compromisso com os jovens continua como uma máxima do clube, algo que se choca as ideias do próprio Zidane.

Leia também

Cristiano Ronaldo 760 gols:  Top 20 dos maiores artilheiros da história do futebol

Publicidade

Neymar, Messi, Cristiano Ronaldo e Lewandowski não jogam juntos, mas formam seleção