Publicidade

Em entrevista à versão italiana da revista Gentlemen’s Quarterly – GQ -, Cristiano Ronaldo foi mais Cristiano Ronaldo que nunca. Para começar, afirmou que “a essa altura da vida”, mantém a ambição e fome de conquistar títulos de sempre. “Vou estar no topo por mais alguns anos”, garante Cristiano Ronaldo.

Cristiano Ronaldo fala sobre família e carreira em entrevista à versão italiana da revista (Reprodução) Cristiano Ronaldo fala sobre família e carreira em entrevista à versão italiana da revista (Reprodução)

“Eu tenho ambição, muita ambição. As pessoas devem perseguir seus sonhos. Eu busquei os meus e quero continuar a fazê-lo, melhorar e alcançar ainda mais conquistas. Tive algumas performances memoráveis ao longo da vida. Não me lembro de nada em particular. Tento focar mais no presente do que no passado”, disse Cristiano Ronaldo.

O craque do Real Madrid falou ainda a respeito de sua nova fase “família”.

Publicidade

“Pessoalmente, esse momento da minha vida é fantástico. A família está crescendo, me sinto muito feliz com a minha vida. Tive dois anos muito bons profissionalmente, quando ganhei títulos com meu clube e com a seleção portuguesa. Sinto que posso me manter no nível mais alto por alguns anos “.

Apesar de ser agora um “paizão”, Cristiano Ronaldo garante que mantém seu lema “profissional 24h por dia”.

“A vida é um desafio de todo jeito. Tento estar no mais alto nível fisicamente, porque isso é muito importante na minha profissão. Eu tenho que ser 100%, para mim mesmo. Este é um assunto muito sério e, para manter esse nível, é necessário fazer sacrifícios.

Mas, a idade não está batendo?

Publicidade

“Há certas coisas que fiz quando tinha 20 anos e que não posso mais fazer. Temos que tentar encontrar um equilíbrio, são os pequenos detalhes que fazem a diferença “, finalizou o atacante, de 33 anos.

Leia também:

Pepsi renova contrato com a UEFA
Neymar vira embaixador de gigante chinesa de tecnologia
Barcelona de Valverde faz história e supera marca de Guardiola
Crise no Real Madrid pode sobrar para Keylor Navas
Neymar tem razão: apanha mais na França do que na Espanha
Mercado de inverno movimenta R$ 3,5 bilhões: Barcelona é o campeão
Rennes usa mesma moeda para responder provocação de Neymar