Publicidade

Polêmica à parte, a bola começou a rolar para a Copa América. Na abertura do torneio, o Brasil venceu a Venezuela, neste domingo, por 3 a 0, no Estádio Mané Garrincha, em Brasília. Uma vitória tranquila, protocolar, de um time superior e favorito ao título. A Seleção é a atual campeã – venceu em 2019.

A Venezuela é o “retrato” das críticas à organização da Copa América no Brasil. A delegação sofreu com surto de Covid-19, com 12 casos positivos. Desta maneira, o técnico José Peseiro precisou convocar jogadores às pressas.

Neymar Brasil x Venezuela Copa América Neymar fez o segundo no Mané Garrincha | Foto: Lucas Figueiredo / CBF / Divulgação

A Seleção Brasileira quer “esquecer” a polêmica e se concentrar em campo, sem “muleta”, como definiu Tite. A delegação se viu no centro da “confusão” com a decisão do País de sediar o torneio, com a desistência da Argentina.

Relacionadas

Neymar

Publicidade

O técnico vai aproveitar o torneio para fazer testes. Na estreia, ele fez três mudanças em relação ao time que venceu o Paraguai, pelas Eliminatórias. Alisson, Renan Lodi e Paquetá começaram no time titular. Ederson, Alex Sandro e Firmino foram para o banco. Gabigol entrou no segundo tempo e deixou a marca dele.

A Seleção Brasileira volta a campo na quinta-feira, às 21h (horário de Brasília), para enfrentar o Peru, no Estádio Nilton Santos. A Venezuela também joga na quinta-feira: encara a Colômbia, às 18h (de Brasília), no Estádio Olímpico, em Goiânia.

Brasil larga com vitória protocolar na Copa América

A Seleção Brasileira logo pressionou a Venezuela. Richarlison e Militão quase marcaram. A pressão surtiu efeito. Neymar cobrou escanteio, Marquinhos ganhou a disputa e tocou para o fundo do gol, aos 22 minutos. A Seleção continuou superior, mas não conseguiu fazer mais gols na primeira etapa.

Marquinhos Brasil Copa América Marquinhos abriu o caminho da vitória | Foto: Lucas Figueiredo / CBF / Divulgação

Publicidade

Tite fez logo duas mudanças no intervalo. Ele colocou Alex Sandro e Éverton Ribeiro. Saíram Renan Lodi e Paquetá. O Brasil pressionava a Venezuela. Neymar não alcançou chute cruzado de Gabriel Jesus. Aos 16, Danilo foi derrubado na área. Pênalti. Neymar cobrou e ampliou, aos 18.

O técnico da Seleção Brasileira fez mais uma mudança e colocou Gabigol no lugar de Richarlison. Neymar tabelou com Gabigol e quase marcou. A finalização foi para fora. Na reta final, Tite ainda colocou Vinicius Júnior e Fabinho. Saíram Gabriel Jesus e Fred.

Deu tempo de fazer o terceiro. Neymar foi lançado pela esquerda, driblou o goleiro e cruzou para Gabigol. Livre, o artilheiro do Flamengo, com o peito, empurrou para o fundo da rede: 3 a 0, aos 43 minutos.

Neymar e Gabigol Gabigol recebeu presente de Neymar | Foto: Imago Images

FICHA TÉCNICA

Publicidade

BRASIL 3X0 VENEZUELA

Local: Estádio Mané Garrincha, Brasília
Data: 13/06/2021, domingo
Horário: 18h (de Brasília)
Árbitro: Esteban Ostojich (URU)
Assistentes: Carlos Barreiros (URU) e Martin Soppi (URU)
VAR: Julio Bascuñan (CHI)
Cartão amarelo: Renan Lodi e Gabigol (Brasil) e Manzano e Del Pino Mago (Venezuela)
Cartão vermelho:
Gol:
Brasil: Marquinhos, aos 22′ do 1ºT, Neymar, aos 18′ do 2ºT, e Gabigol, aos 43′ do 2ºT
Venezuela:

BRASIL: Alisson; Danilo, Éder Militão, Marquinhos e Renan Lodi (Alex Sandro); Casemiro, Fred (Fabinho) e Lucas Paquetá (Éverton Ribeiro); Gabriel Jesus (Vinicius Júnior), Neymar e Richarlison. Técnico: Tite.

Publicidade

VENEZUELA: Graterol; La Mantia, Adrián Martínez e Del Pino Mago; Alex González (Hernández), Moreno, Manzano (Celis), Cásseres (Castillo), José Martínez e Cumaná; Aristeguieta (Córdova). Técnico: José Peseiro.

Comentários