Publicidade

A janela de janeiro do mercado da bola começa a esquentar. E já teve transação de peso. Ferrán Torres, reforço do Barcelona, é o 10º mais caro da história deste período de transferências.

O Top 20 das transferências mais caras da janela de mercado da bola é marcada também pelo “apetite chinês”. Os clubes da China atacaram os clubes europeus em janelas passadas.

Galeria de Fotos

O Brasil tem seis atletas neste Top 20, contando com Diego Costa, naturalizado espanhol. Por sinal, um brasileiro é a contratação mais cara da história deste período: Philippe Coutinho.

Relacionadas

Philippe Coutinho
Cristiano Ronaldo Manchester United

As transferências mais caras de janeiro do mercado da bola

Publicidade

O Manchester City buscou Dzeko em 2011 no Wolfsburg e pagou 37 milhões de euros (R$ 238,2 milhões, na cotação atual).

mercado da bola Dzeko na época de City

O Milan tirou Paquetá do Flamengo por 38,4 milhões de euros (R$ 247,2 milhões, na cotação atual), na janela de 2019.

MAIS! Fiorentina pode ser solução para craque do Real Madrid

Publicidade

O PSG buscou Lucas Moura no São Paulo por 40 milhões de euros (R$ 257,5 milhões, na cotação atual), a janela de 2013.

MAIS! Barcelona respira com saída de Coutinho, mas drama continua

O Beijing Guoan tirou Cédric Bakambu do Villarreal, em 2018, por 40 milhões de euros (R$ 257,5 milhões, na cotação atual).

Publicidade

LEIA MAIS! PSG prepara R$ 1,9 bilhão e vai tentar seduzir Haaland

O PSG buscou Leandro Paredes no Zenit, em 2019. O clube francês pagou 40 milhões de euros (R$ 257,5 milhões, na cotação atual).

Vinicius Júnior no topo: os brasileiros mais valiosos do mundo

Publicidade

Andy Carroll trocou o Newcastle pelo Liverpool em 2011. O valor da negociação foi de 41 milhões de euros (R$ 263,9 milhões, na cotação atual).

O ‘apetite chinês’ em janeiro

O Guangzhou Evergrande tirou Jackson Martínez do Atlético de Madrid, em 2016, por 42 milhões de euros (R$ 270,4 milhões, na cotação atual).

mercado da bola Jackson Martínez na chegada à China

Paulinho voltou para a China em 2019. O Guangzhou Evergrande pagou 42 milhões de euros (R$ 270,4 milhões, na cotação atual) ao Barcelona.

Publicidade

Fifa divulga os finalistas do prêmio de melhor do mundo

O Manchester United tirou Juan Mata do Chelsea, em 2014, por 44,73 milhões de euros (R$ 287,9 milhões, na cotação atual).

Novo rico da Premier League abre os trabalhos no mercado da bola

Publicidade

O Jiangsu Suning levou Alex Teixeira por 50 milhões de euros (R$ 321,9 milhões, na cotação atual), em 2016. Ele defendia o Shakhtar Donetsk.

Alex Teixeira Alex Teixeira brilhou na China | Foto: Imago Images

A principal transação desta janela, até aqui, aparece no décimo lugar histórico. O Barcelona tirou Ferrán Torres do Manchester City por 55 milhões de euros (R$ 354,1 milhões).

Fernando Torres trocou o Liverpool pelo Chelsea em 2011. Ele custou 58,5 milhões de euros (R$ 376,6 milhões, na cotação atual).

Publicidade

O Shanghai, em 2017, pagou 60 milhões de euros (R$ 386,1 milhões, na cotação atual) para tirar Oscar do Chelsea.

Diego Costa, em 2018, voltou ao Atlético de Madrid por 60 milhões de euros (R$ R$ 386,1 milhões, na cotação atual). Ele defendia o Chelsea.

O Manchester United pagou 63 milhões de euros (R$ 405,6 milhões, na cotação atual) ao Sporting, em 2020, por Bruno Fernandes.

Publicidade

O Arsenal buscou Aubameyang, em 2018, no Borussia Dortmund e pagou 63,75 milhões de euros (R$ 410,4 milhões, na cotação atual).

Em 2019, o Chelsea contratou Pulisic, junto ao Borussia Dortmund, por 64 milhões de euros (R$ 412 milhões, na cotação atual).

Janeiro de 2018 foi agitado no mercado da bola

O Manchester City, em 2018, buscou Laporte no Athletic de Bilbao por 65 milhões de euros (R$ 418,5 milhões, na cotação atual).

O Liverpool, em 2018, abriu os cofres por van Dijk. Para tirar o zagueiro do Southampton, o clube inglês pagou 84,65 milhões de euros (R$ 545 milhões, na cotação atual).

Philippe Coutinho é a contratação mais cara da janela de janeiro. O Barcelona, para tirá-lo do Liverpool, em 2018, pagou 135 milhões de euros (R$ 869,1 milhões, na cotação atual).

Comentários