Publicidade

A tensão médica entre o Real Madrid e a Federação Belga parece novela. O tema volta a ganhar ênfase em plena Eurocopa 2020. Eden Hazard completou os 90 minutos do jogo frente à Finlândia, com um nível muito discreto e deixando uma imagem preocupante. Ele levou uma forte pancada no tornozelo esquerdo antes do intervalo, algo que o fez temer o pior. No entanto, Hazard conseguiu voltar para o segundo tempo até o fim da partida.

Vale recordar que Hazard ficou longo tempo parado, tendo que passar por cirurgias no tornozelo do lado direito.

Eden Hazard  e a linha tênue que divide uma crise entre Real Madrid e seleção da Bélgica - Foto: Imago Eden Hazard e a linha tênue que divide uma crise entre Real Madrid e seleção da Bélgica – Foto: Imago

Dias atrás, na concentração da Bélgica, os jornalistas que cobrem as informações dos Red Devils perguntaram sobre o estado físico de vários jogadores. Quando chegou a hora de fazer perguntas sobre Hazard, os preparadores físicos não deram detalhes, mas deram uma resposta enigmática.

Publicidade

“Você tem que perguntar ao Éden (Hazard).”

Relacionadas

Goretzka
Mbappé

O jornalista Peter T’Kint relatou o episódio na Sport Foot Magazine. As relações entre a Bélgica e Madrid já são tensas há muito tempo. Isso se deu quando, em março, a federação belga pressionou Hazard para que passasse pela sala de cirurgia para retocar a placa de titânio que tem em seu tornozelo direito. Segundo os médicos da Bélgica, seria essa a fonte de todos os problemas físicos que o jogador sofreu durante a temporada 2020-21.

LEIA TAMBÉM

Na vaga de Çalhanoglu! Milan quer tirar brasileiro do PSG

Publicidade

Futuro de Cristiano Ronaldo pode ter capítulo decisivo nesta semana, mas não se sabe onde

No Real Madrid, no entanto, a orientação era de tratamento conservador e mais preparação física. Entretanto, a desconfiança era de que a raiz do debate estava escondida: se ele operasse, não voltaria a jogar pelo clube naquele ano, mas chegaria à Eurocopa recuperado. Assim, a visão de Madrid prevaleceu e a Bélgica reduziu a retórica em torno do assunto, usando Roberto Martínez, técnico espanhol da seleção belga, como porta-voz para acalmar os ânimos.

Comentários