Publicidade

O presidente do Barcelona, Joan Laporta, quebrou o silêncio sobre a posição do clube quanto à Superliga. Ele é um dos criadores do projeto criticado por almejar elitizar o futebol. Vale lembrar que o Barcelona ainda não debandou, ao contrário de grande parte do grupo.

‘Temos uma postura de prudência. É uma necessidade, mas os parceiros terão a última palavra. Os grandes clubes contribuem com muitos recursos e devemos nos posicionar sobre essa distribuição econômica ‘, disse Laporta em declarações à TV3, da Espanha.

Laporta, no entanto, defende a necessidade de criação da Superliga.

Laporta estava em silêncio, mas resolveu se posicionar sobre a Superliga (Foto: Imago)

Publicidade

‘Deve ser uma competição atrativa, baseada em méritos esportivos. Somos defensores das ligas estaduais e estamos abertos a um diálogo aberto com a UEFA. Precisamos de mais recursos para fazer deste um grande show. Acho que vai haver um entendimento. Tem havido pressão em alguns clubes, mas a proposta ainda existe’.

‘Fazemos investimentos muito importantes, os salários são muito altos e todas essas considerações devem ser levadas em conta, além do mérito esportivo’

A intervenção de Laporta vem um dia depois de Aleksander Ceferin, presidente da UEFA, o isentar parcialmente da sua presença como promotor da Superliga.

Publicidade

‘Todos me decepcionaram, mas menos o Barcelona, pois Laporta assumiu a presidência recentemente. Foi algo que ele herdou. Não foi por sua culpa que a situação ficou assim’, disse Ceferin, sabe-se agora, equivocado.

.

Comentários