Publicidade

As cifras milionárias dominam o futebol há algum tempo. As transações estão cada vez mais caras. O River Plate, por exemplo, tirou Lucas Pratto do São Paulo por 11,5 milhões de euros, cerca de R$ 44 milhões. Centroavante de 29 anos, Pratto se transformou na segunda maior transferência da história do futebol argentino e a primeira do River.

Pratto é o jogador mais caro da história do River Plate | Foto: Divulgação

A primeira colocação pertence a Juan Román Riquelme, ídolo do Boca Juniors. Em 2007, o clube pagou ao Villarreal 15 milhões de dólares na contratação (o valor de Pratto convertido em dólar dá 13,7 milhões). Riquelme ampliou sua idolatria com mais títulos, incluindo uma Libertadores.

Pratto supera Tevez

Pratto chegou perto de Riquelme e deixou para trás outros nomes de peso do futebol argentino. O Boca Juniors pagou 6 milhões de euros à Juventus para repatriar Tevez da primeira vez, em 2015. Em 2000, o River Plater desembolsou 5,5 milhões de euros para tirar Ortega da Parma.

Publicidade

Leia também

Real Madrid se movimenta e prepara resposta a Philippe Coutinho
Abidal e o câncer: ‘Messi pediu para não enviar vídeos’
As metas para Philippe Coutinho engordar a conta do Liverpool
Torcida do San Lorenzo faz plágio de Nego do Borel e Anitta
Philippe Coutinho, Ronaldo… veja craques que a Inter de Milão deixou escapar

Elenco 1981 x 2018: a pedreira que Carpegiani vai encarar no Flamengo

Em âmbito nacional, a maior negociação é de Fernando Belluschi. O River Plate pagou cinco milhões de dólares ao Newell’s Old Boys por 80% dos direitos econômicos do atleta.

Publicidade

Para se ter uma ideia de como as cifras e o poderio econômico dos clubes aumentaram no futebol, o Boca Juniors, em 1981, pagou 2,5 milhões de dólares para contratar um tal de Diego Maradona.