Publicidade

Philippe Coutinho Philippe Coutinho jogou 46 partidas pela Inter de Milão – Reprodução/Internet

A contratação de Philippe Coutinho pelo Barcelona por 160 milhões de euros, cerca de R$ 620 milhões, expôs um problema recorrente na Inter de Milão, o primeiro time do brasileiro na Europa: a falta de visão na hora de negociar seus craques. Há menos de cinco anos, no mercado de inverno de 2013, o meia da seleção brasileira foi negociado com o Liverpool por 13 milhões de euros, 12 vezes menos do que faturou o clube inglês na negociação com o espanhóis.

Philippe Coutinho pertenceu a Inter de Milão por quatro anos, sendo que nos dois primeiros ficou no Brasil, cedido ao Vasco, o clube formador. Com a camisa nerazzurra disputou apenas 47 partidas e em 2012 passou a metade da temporada no Espanyol, onde partipou de 16 jogos. Marcou cinco gols em cada time.

Publicidade

Porém, Coutinho não foi a única negociação mal feita da Inter. O jornal espanhol “As” aproveitou a contratação do Barcelona para listar outros tropeços do time italiano.

Caso parecido com o de Philippe Coutinho

Pirlo

Publicidade

Um dos maiores craques da seleção italiana nos últimos tempos, Pirlo defendeu a Inter de Milão por três temporadas e acabou vendido para o rival Milan por 18 milhões de euros, em 2001. A contratação foi a 18º mais cara da época, mas no clube rossonero Pirlo jogou por dez anos e conquistou duas Liga dos Campeões e cinco títulos da Série A italiana.

Lateral da seleção brasileira

Roberto Carlos

Publicidade

Roberto Carlos também passou pelo clube italiano antes de se transferir para o Real Madrid, onde fez história. O lateral-esquerdo defendeu a Inter na temporada 1995-1996. Isso até se desentender com o técnico Roy Hodgson por causa de sua posição no campo. Acabou vendido para o time espanhol por apenas 3 milhões de euros em valores atuais. Em Madri, conquistou quatro campeonatos espanhóis. Foram três Ligas dos Campeões, uma Copa do Mundo pelo Brasil e se tornou um dos maiores laterais-esquerdos da história.

Leia mais:

Torcida do San Lorenzo faz plágio de música de Nego do Borel e Anitta
Flamengo vai para o 12º técnico na era Bandeira de Mello
Por que Neymar é sucessor legítimo de Ronaldinho Gaúcho na Europa
Confira o que a dupla Coutinho-Suárez aprontava no Liverpool
Philippe Coutinho amplia tradição brasileira no Barcelona
Philippe Coutinho é o segundo jogador mais caro da história: veja o Top 10
Independência da Catalunha pode tirar Messi do Barcelona de graça

Publicidade

Joia holandesa

Dennis Bergkamp

Dennis Bergkamp trocou o Ajax, da Holanda, pela Inter de Milão em 1993, após ficar em segundo lugar na disputa pela Bola de Ouro, um ano depois de um terceiro lugar na premiação. No entanto, o novo dono do clube Massimo Moratti preferiu Maurizio Ganz e Berkamp se transferiu para o Arsenal por 5,5 milhões de libras. O meia foi um dos maiores nomes do time inglês. Hoje tem uma estátua em sua homenagem do lado de fora do Emirates Stadium.

Publicidade

Deixou o Fenômeno escapar

Ronaldo

Na Inter de Milão, o atacante Ronaldo viveu seus piores momentos como jogador de futebol. Recuperado de duas graves contusões que o deixaram dois anos longe dos gramados, o Fenômeno arrebentou na Copa do Mundo do Japão e Coreia, com direito a artilharia e título. Após a competição, foi vendido para o Real Madrid por 45 milhões de euros (havia sido contratado pelos italianos por 28 milhões quatro anos antes).

Micharia

Publicidade

O valor foi considerado moderado diante das condições do mercado à época. Nos dois verões anteriores, o Real havia pago 60 milhões por Figo e 72 milhões por Zidane. O brasileiro nem foi a contratação mais cara de 2002: o Manchester United gastou um milhão a mais para ter o zagueiro Ferdinand.