Publicidade

O Barcelona apresentou em números o tamanho do buraco financeiro que se meteu. Nesta quarta-feira, o clube divulgou detalhes da auditoria contratada para verficar as finanças. A dívida encontrada em março pela atual gestão foi de 1,35 bilhão de euros (R$ 8,5 bilhões). Além disso, o Barça deu detalhes do descontrole operacional na contratação de Griezmann.

Segundo o CEO Ferran Reverter, o Barcelona descobriu de última hora que não tinha todo o dinheiro para tirar Griezmann do Atlético de Madrid, em 2019. Sendo assim, precisou pegar empréstimo, o que acarretou em mais custos para o clube.

Griezmann Barcelona Griezmann foi emprestado ao Atlético de Madrid | Foto: Imago Images

– A direção anterior (o presidente em questão era Josep Maria Bartomeu) comprava jogadores sem saber se poderia pagar. Na véspera de contratar Griezmann perceberam que não podiam pagar e pediram 85 milhões emprestados a um fundo, o que obviamente acarreta comissões – declarou Reverter.

Relacionadas

Haaland Borussia Dortmund
Neymar e PSG

Publicidade

O crescimento da dívida do Barcelona também se deu pelo aumento da folha salarial, na casa de 61% nos últimos três anos, e nos gastos de gestão, na ordem de 56%. A nova diretoria, além de vender e liberar jogadores, vem conseguindo reduzir o vencimento de peças importantes do elenco. Segundo o dirigente, já foi possível diminuir a folha salarial em 155 milhões de euros (R$ 982 milhões).

Barcelona gastava fortuna com quarteto

Um exemplo da “gastança” do Barcelona dado pelo dirigente foi o valor que quatro atletas consumiam. O clube gastava 300 milhões de euros (R$ 1,9 bilhão) apenas com Messi, Griezmann, Philippe Coutinho e Dembélé.

LEIA MAIS! O responsável pela permanência de Koeman no Barcelona

Publicidade

O Barcelona amargou um prejuízo de 481 milhões de euros (R$ 3 bilhões) na temporada passada. Apesar dos pesares, o clube demonstra otimismo para o futuro. Inclusive, para voltar a investir no mercado da bola, mas com cautela. Segundo o dirigente, o Barça tem margem de 20 milhões de euros (R$ 127,1 milhões) para se reforçar.

Comentários