Publicidade

A histórica atitude dos jogadores de PSG e Istanbul Basaksehir, que se retiraram de campo após declarações racistas a um membro da comissão técnica turca, é o principal assunto de momento do futebol. O técnico José Mourinho reforçou a luta contra o racismo e comentou o episódio acontecido na Champions League.

Mourinho, Tottenham Mourinho aborda o episódio na Champions e reforça luta contra o racismo  | Foto: Tottenham / Divulgação

“É uma situação triste. Todas as formas de racismo devem ser combatidas, não queremos isso no futebol. Conheço o árbitro pessoalmente, muito boa pessoa e bom árbitro, o quarto árbitro não conheço, mas só ele poderá esclarecer a situação. Estar envolvido num jogo que vai ser icônico não é bom. Claro que cometeu um erro inaceitável, só ele poderá abrir o seu coração e pedir desculpa. Todos temos responsabilidade e se cometemos erros temos de aceitar as consequências. Agora o jogo vai se tornar simbólico… um jogo da Champions interrompido aos 15 minutos por um motivo tão triste… Espero que não volte a acontecer. Lamento que isto aconteça na minha indústria”, declarou Mourinho.

Símbolo contra o racismo! Demba Ba tem carreira discreta, mas faz golaço na Champions

Publicidade

O episódio aconteceu ainda no primeiro tempo. O banco do Istanbul começou a reclamar de uma decisão do árbitro. Sebastien Coltescu, quarto árbitro do jogo, chamou o árbitro principal, Ovidiu Hategan, e pediu punição a Pierre Webó, membro da comissão técnica.

De acordo com jornalistas romenos, Coltescu se dirigiu a Webó como “aquele preto ali”. Webó ficou revoltado e foi tirar satisfação. Ele foi expulso. Os jogadores de PSG e Istanbul, diante do episódio de racismo, decidiram deixar o campo. A partida, então, foi adiada para esta quarta-feira.

Uefa retira cartão e abre investigação

Nesta quarta-feira, a Uefa suspendeu o cartão vermelho recebido por Webó. Além disso, a entidade anunciou que um inspetor de Ética e Disciplina foi nomeado para conduzir uma investigação disciplinar sobre o episódio.