Publicidade

Na entrevista coletiva antes da final da Supercopa da Alemanha, diante do Leipzig, Julian Nagelsmann, técnico do Bayern de Munique, mostrou que realmente está disposto a incomodar dirigentes e colegas de profissão. Ele não tirou o pé do freio ao ser questionado sobre a polêmica com Joan Laporta, presidente do Barcelona.

Nagelsmann Nageslmann lidera o Bayern de Munique | Foto: Alexander Hassenstein/Getty Images

Quando o Barcelona fechou a contratação do artilheiro polonês Robert Lewandowski, o técnico do Bayern ironizou a situação: “É o único clube do mundo que não tem dinheiro mas pode comprar qualquer jogador”.

O fato irritou Laporta que subiu o tom: “Peço que Nagelsmann se concentre nas contas do Bayern, que recebeu uma quantia significativa de dinheiro por Lewandowski. Respeito a todos e não vou falar sobre as finanças de outras equipes”.

Relacionadas

Zaniolo Roma
Renato Sanches
Real Madrid, de Carlo Ancelotti, entra em campo como favorito, mas terá retrancão pra frente - Foto: GABRIEL BOUYS/AFP via Getty Images

Publicidade

Na coletiva desta sexta-feira o treinador do Bayern não tirou o pé da dividida. Além disso manteve o ponto de vista.

– Falei do ponto de vista de um torcedor. Não tenho problema com Laporta, ou com ele se expressando, ele tem que representar seu clube. Realmente não conheço detalhadamente a situação do Barcelona, mas continuarei a dar minha opinião no futuro. Não é que eu escreva todas as minhas respostas antes de uma entrevista coletiva e depois me ocorra jogar uma bomba na terceira pergunta. São coisas que surgem espontaneamente – disse ele.

Polêmica com Conte

Ele também teve problemas com Antonio Conte, que não gostou de comentários de Nagelsmann sobre o artilheiro do Tottenham Harry Kane. Mas dessa vez o treinador amenizou.

Publicidade

– Não foi uma resposta dramática, tenho uma boa relação com Conte. Resolvemos isso – concluiu ele.

 

 

Comentários