Messi emite comunicado: “É óbvio que a indenização de 700 milhões não é aplicável”

publicado em 04/09/2020 às 13:24

“A cláusula de rescisão de 700 milhões de euros, cerca de R$ 4,5 bilhões, não é válida”. Este foi o teor de um comunicado que Lionel Messi emitiu nesta sesta-feira (4), a respeito de sua desejada saída do Barcelona. Este é mais um capítulo da novela envolvendo jogador de clube.

Barcelona ainda não repetiu o desempenho dos últimos anos, mas tem Messi (Foto: Divulgação)

O comunicado de Messi, no entanto, entra em choque com o que foi reivindicado pelo Barcelona e reforçado pela La Liga, a Real Federação Espanhola de Futebol.

“Não sabemos qual foi o contrato que analisaram e quais são as bases em que se apoiam”, diz o comunicado de Messi. O jogador ressalta que o documento que tem com o Barcelona é bem claro, embora enfrente litígio com o clube. Messi contesta o uso da cláusula de rescisão “no caso de um jogador decidir utilizar a extinção unilateral do mesmo, com efeito, a partir da finalização da temporada desportiva de 2019/20”.

Leia também

Caso Messi x Barcelona tem definição prevista para esta sexta-feira

Embora admita ficar, Messi exige que o Barcelona não dispense Luis Suárez

O jogador defende que, como anunciou que deixaria o clube ai fim da temporada, “é óbvio que a indemnização de 700 milhões de euros previstos na cláusula de rescisão não é aplicável”.

No entanto, o presidente da Liga espanhola, Javier Tebas, veio a público afirmar que a cláusula de 700 milhões era válida.

Deixe seu comentário:

Comentário