Publicidade

Decepção na Premier League e alegria na Champions League. Assim tem sido o início de temporada do Manchester City. Apenas o 13º colocado no Campeonato Inglês, o City garantiu, antecipadamente, classificação para o mata-mata da Champions. Nesta quarta-feira, na Grécia, o Manchester City venceu o Olympiacos por 1 a 0 e assegurou vaga para as oitavas de final, além de manter 100% de aproveitamento. O Manchester City tem 12 pontos e lidera o Grupo C da Champions League e não pode mais ser alcançado.

Foden, Manchester City, Champions League Foden marcou para o Manchester City | Foto: Twitter Manchester City / Divulgação

Já o Olympiacos se complica na Champions League. O clube grego, do lateral-direito brasileiro Rafinha, continua com três pontos e na terceira colocação do Grupo C da Champions League. O Porto, que ainda joga na rodada, tem seis pontos e pode se distanciar do Olympiacos.

LEIA MAIS! Adeus, craque! Maradona morre na Argentina

Publicidade

O City tem mais um compromisso fora de casa. Na próxima rodada, vai enfrentar o Porto, em Portugal, nesta terça-feira, às 17h, pela quinta rodada. O Olympiacos entra em campo no mesmo dia e horário para encarar o Olympique de Marselha, na França.

Manchester City domina rival na Champions League

O Olympiacos até que conseguiu resistir no primeiro tempo. O City era o dono da bola e encurralava os gregos, que se defendiam bem. Gabriel Jesus teve chance de abrir o placar, mas, cara a cara, bateu em cima do goleiro. O domínio, enfim, resultou em gol. E que gol. Gabriel Jesus acionou Sterling, que ajeitou de calcanhar para Foden chutar: 1 a 0, aos 36 minutos.

LEIA MAIS! Plano do Manchester City para Messi é pelo resto da vida

Publicidade

Rafinha, que reencontrou Guardiola, com quem trabalhou no Bayern de Munique, atuou pela lateral esquerda. Ele se estranhou com Sterling no fim do primeiro tempo. O atacante do City, depois, quase ampliou em cobrança de falta.

O roteiro do segundo tempo foi parecido. A bola era do Manchester City. O Olympiacos bem que tentava, mas não conseguia jogar. Restava se defender. E o goleiro José Sá foi o destaque do time grego. Ele precisou trabalhar e impediu que a derrota fosse pior.