Publicidade

O fiasco do PSG nas últimas temporadas em sua luta pelo título da Champions League fez com que o dono do clube, Nasser al Khelaifi, mudasse de postura. Ao contratar Luis Campos para diretor de futebol, ele deixou claro que o novo técnico, Christophe Galtier, teria que exigir de todos os craques uma linha dura. Assim a disciplina tomou conta do Paris Saint-Germain. O treinador enquadrou todas as estrelas da companhia, como Lionel Messi, Mbappé e Neymar.

Galtier enquadrou Mbappé (Foto: Getty)

Segundo informações do jornal espanhol “Marca”, Galtier determinou que o jogador que chegar atrasado ao treino sequer vai entrar no clube. Assim retorna do estacionamento para casa e vai pagar multa. Antes o clube apenas aplicava a multa. E a rigidez na regra está sendo notada.

Relacionadas

Scamacca
Arthur
Wijnaldum PSG

No café da manhã e no almoço, os jogadores não podem usar seus telefones celulares. Galtier e Campos querem uma relação mais fluida entre o elenco, embora ambos tenham confirmado que os jogadores formam um bom grupo. Mas consideram que para promover um bom ambiente é preciso conviver um pouco mais e consideram que as refeições são um bom momento para brincar e trocar experiências juntos.

Publicidade

É uma medida que será instalada com mais facilidade e sobretudo com mais conforto quando o plantel estiver pronta a nova Cidade Desportiva, que inclui a residência do elenco principal e das categorias de base. A ideia é acabar com os antigos grupos, como os sul-americanos com Messi e Neymar como referência, o grupo de Mbappé e Achraf, o grupo de Ramos e Keylor Navas…

Medidas estão dando certo

Galtier domou elenco do PSG (Foto: Getty)

Nestas primeiras semanas de convivência, o clube confirmou a resposta positiva do elenco e a resposta e empenho de Neymar chamaram a atenção. Embora seja verdade que o clube o colocou no mercado, Galtier está determinado a tirar o melhor proveito do brasileiro e parece disposto a responder ao seu treinador. O técnico confirmou a mudança nas regras.

– Haverá regras de convivência que apresentarei ao grupo. Haverá coisas negociáveis, outras inegociáveis. Vou conversar com os jogadores porque vou levar em conta as obrigações extra-esportivas dos jogadores, mas regras muito rígidas terão que ser respeitadas. Isso acontecerá naturalmente. Nós também não estamos no exército. Eu nunca tomarei uma decisão sem levar em conta a opinião dos outros. O mais importante é que meu presidente e a direção esportiva me apoiam. Um vestiário precisa de justiça e justiça conta para todos. A disciplina do grupo é a base do sucesso – disse ele.

Comentários