Publicidade

O tom de azul que predominou na final da Champions League foi aquele que já havia pintado a Europa em 2012 e tem mais tradição do que o rival no torneio. O Chelsea bateu o Manchester City, neste sábado, no Estádio do Dragão, em Portugal, por 1 a 0, e conquistou a Champions League pela segunda vez na história. Havertz se tornou o herói. Foi dele o gol da vitória, o primeiro e único que marcou nesta edição. Que estrela!

O Chelsea tem semelhanças com o Manchester City, ambos impulsionados por fortunas. O Chelsea viveu este processo mais cedo: virou protagonista da Premier League e ganhou a Champions em 2012. O City alcançou a final da Champions League pela primeira vez e amarga o vice-campeonato.

Chelsea campeão da Champions League A festa do Chelsea: bicampeão da Champions League | Foto: Uefa

E a pesada derrota na final foi a única do Manchester City nesta Champions League. O time de Guardiola chegou à decisão com 11 vitórias e um empate (havia vencido todos os jogos de mata-mata). O City sofre de novo contra o rival. O Chelsea fez a “trinca” e emplacou a terceira vitória seguida recente sobre o adversário. Já havia vencido pela Premier League e pela Copa da Inglaterra.

Guardiola Manchester City Guardiola não acredita: City cai na final para o Chelsea | Foto: Uefa

Tuchel ajeita o Chelsea rumo à glória

Publicidade

O título do Chelsea tem um nome especial: Thomas Tuchel. Ele assumiu o time no decorrer da temporada, no lugar de Frank Lampard, ídolo do clube, e não demorou a arrumar a casa. Um time seguro defensivamente e que acelera na hora de atacar. Demitido do PSG, Tuchel bateu na trave na última edição, mas agora conquista o título e se consolida como um dos principais técnicos da atualidade. Na caminhada do bicampeonato, no mata-mata, o Chelsea eliminou o Atlético de Madrid, Porto e o Real Madrid.

Relacionadas

Thiago Silva De Bruyne Champions League
Chelsea teve problemas ao longo da temporada (Foto: Arquivo Uefa)

Por falar em PSG, o título também é especial para o brasileiro Thiago Silva. O clube francês optou por abrir mão dele. Ele rapidamente se encaixou no Chelsea. Após se lesionar no primeiro tempo, ele deu apoio aos companheiros e coroa a trajetória vencedora na Europa com a conquista da Champions League.

Chelsea dá o bote e fatura a Champions League

A primeira chance foi do City. Ederson lançou Sterling, que tentou driblar Mendy, mas viu o goleiro mandar para escanteio. Chelsea respondeu com trama pela esquerda, mas Timo Werner furou. Depois, ele bateu para defesa de Ederson e desperdiçou nova oportunidade.

Sterling Manchester City Champions League Sterling para em Mendy logo no começo do jogo | Foto: Uefa

Publicidade

O Manchester City retomou o controle do jogo. Foden recebeu de De Bruyne e teve tudo para marcar, mas Rüdiger conseguiu bloquear a finalização. O Chelsea precisou fazer a primeira mudança. O brasileiro Thiago Silva sentiu um problema muscular e deu lugar a Chirstensen.

O Chelsea deu o bote. Mason Mount lançou Kai Havertz. O meia-atacante alemão driblou Ederson e abriu o placar, aos 42 minutos: 1 a 0.

Havertz Champions League Havertz fez o gol do título do Chelsea | Foto: Uefa

O Manchester City perdeu seu principal jogador no começo do segundo tempo. Rüdiger se chocou com De Bruyne. Ele levou a pior e precisou ser substituído e deixou o campo chorando. Gabriel Jesus entrou no lugar do belga. Guardiola lançou mais um brasileiro: Fernandinho na vaga de Bernardo Silva. Tuchel respondeu com Pulisic no lugar de Timo Werner.

Publicidade

O City passou a encurralar o Chelsea, que se fechava bem e esperava o contra-ataque. Ele aconteceu, mas Pulisic, cara a cara com Ederson, perdeu. Guardiola lançou Agüero, no último ato dele pelo clube, na vaga de Sterling.

O Manchester City pressionou, buscou, mas não conseguiu. O chute de Mahrez, nos acréscimos, levou perigo. O Chelsea segurou o resultado e conquistou o título da Champions League.

Comentários