Publicidade

A torcida é a principal riqueza do Flamengo. Foi ela que elevou o patamar do clube e por isso mesmo continua sendo o foco. O dia 28 de outubro é dia do Flamenguista, e a diretoria do Rubro-Negro escolheu a data para relançar o seu programa de sócio-torcedor. Rebatizado de “Nação”, o programa pretende resgatar a liderança no ranking brasileiro alcançada em 2019, e perdida durante a pandemia.

O novo projeto de sócio-torcedor do Flamengo (Foto: Divulgação)

O clube recebeu muitas críticas pela forma como tratou o programa, diretamente afetado pela paralisação do futebol e a proibição do público nos estádios.

Leia também:

Publicidade

Flamengo e Athletico revivem duelo pela Copa do Brasil
Seleção e lesões ameaçam temporada do Flamengo

As novidades incluem a atualização dos nomes dos planos disponíveis, novos benefícios, experiências e conteúdos exclusivos, além de promoções com descontos para novas adesões e renovações de contratos antigos.

– Uma marca deve ser simples, direta no entendimento do que representa, além de bonita. O grande mérito dessa nova marca do sócio-torcedor do Flamengo é que ela traz uma das coisas mais representativas da torcida, a bandeira do Flamengo tremulando. Além disso, temos o nome: Nação. Eu não preciso dizer mais nada, Nação é Flamengo – afirmou à FlaTV Gustavo Oliveira, VP de Comunicação e Marketing do FlamengoClube.

‘Torcedor sabe o que é Nação’

Publicidade

Gustavo segui explicando.

– O rubro-negro sabe o que é Nação, não precisa falar que é rubro-negra. Então nós juntamos o nome Nação e a bandeira do Flamengo, em uma marca bonita e muito forte, uma ligação entre o clube e sua torcida – completou.

Segundo levantamento feito em julho, o Flamengo, que chegou a mais de 145 mil associados, havia caido para cerca de 95 mil, na segunda colocação. O líder do ranking é o rival Vasco, com cerca de 115 mil sócios-torcedores.