Publicidade

A camisa 10 do Flamengo tem um novo dono: Diego. Ele já havia sentido o gostinho (e tido a responsabilidade) de usar o número na Libertadores e na Sul-Americana do ano passado, mas, a partir de agora, vai carregar o 10 às costas por toda a temporada. O Fla anunciou a numeração fixa nesta sexta-feira.

A 10 é dele! Diego vai usar o número em 2018 | Foto: Divulgação

Eternizada por Zico, a camisa 10 do Flamengo tem praticamente uma mística à parte. Nesta década, foi utilizada por ídolos, como Adriano e Petkovic, e até melhor jogador do mundo – Ronaldinho Gaúcho. Outros nomes fracassaram com o número. Ederson era o antigo dono. Ele agora vai usar a 32. A responsabilidade toda agora é de Diego.

Leia também

Publicidade

São Paulo sonda meio de campo, mas Porto descarta negociação
Denis Vieri? Saiba que 2011 sim foi o ano dos jogadores fakes
Manchester United x Donald Trump: entenda a polêmica
A incrível história do clube que, em fevereiro, já sofreu duas eliminações
O 1º gol de Philippe Coutinho pelo Barcelona: relembre o ‘batismo’ de outros brasileiros
Simplesmente Messi: craque alcança a 35ª final da carreira

Veja os camisas 10 do Flamengo na década

A década começou com um camisa 10 imperial. Adriano usou o número no título do Campeonato Brasileiro, em 2009, e permaneceu até 2010, quando foi para a Roma. Outro ídolo, então, herdou a camisa: Petkovic. O sérvio envergou o número especial até o fim de 2010.

Adriano Imperador foi o primeiro 10 do Flamengo da década atual | Foto: Divulgação

R10 do Flamengo

Contratação badalada, Ronaldinho Gaúcho vestiu a camisa 10 do Flamengo em 2011. A parceria começou com título invicto do Campeonato Carioca, mas não terminou muito bem. No ano seguinte, o craque entrou na Justiça e se desligou do clube. Ao todo, foram 74 jogos e 28 gols. Com a saída de R-10, o número só voltou a ser usado em 2013.

Ronaldinho sentiu o peso de usar a camisa 10 do Flamengo | Foto: Divulgação

O peso da camisa 10

Publicidade

Na gestão Eduardo Bandeira de Mello, Carlos Eduardo chegou à Gávea com pompa e recebeu o número 10. O meia decepcionou. Fez apenas um gol em 49 partidas e não deixou saudade. Ainda em 2013, o número passou para Gabriel, outro contratado naquele ano. O meia-atacante jogou o Brasileiro com a camisa eternizada por Zico.

Carlos Eduardo não fez sucesso com a 10 | Foto: Divulgação

Argentino com a 10 do Flamengo

A camisa 10 do Flamengo teve um sotaque diferente em 2014. O argentino Lucas Mugni usou o número, mas não correspondeu à expectativa. Ao todo, ele fez cinco gols em 51 jogos e deixou o clube.

Mugni decepcionou com a 10 às costas | Foto: Divulgação

Ederson e a camisa 10

A camisa 10 do Flamengo ficou no armário por um tempo, até a chegada de Ederson, em julho de 2015. O meia mostrou potencial no início da trajetória, mas sofreu com lesões. No ano passado, o número ficou com Diego na Libertadores e na Sul-Americana. Agora, Ederson é o camisa 32.

Ederson usava a 10 desde 2015 | Foto: Divulgação