Publicidade

Rogério Ceni em ação na sala de aula (Foto: Lucas Figueiredo/CBF Rogério Ceni em ação na sala de aula (Foto: Lucas Figueiredo/CBF

A experiência amarga no comando do São Paulo não tirou de Rogério Ceni o ímpeto de tornar-se treinador de alto nível. Enquanto não inicia a pré-temporada no comando do Fortaleza, ele investe fundo na especialização, com foco na sala de aula da Licença A da CBF Academy.

Ele acabou de completar o primeiro módulo do curso na entidade maior do futebol no Brasil.

Publicidade

Leia também:

Ricardo Oliveira e quem já esteve entre Santos e Atlético Mineiro
Barcelona se aproxima de Philippe Coutinho e quase “vinga” Neymar
Fred é uma boa para o Flamengo? Veja o que pesa a favor ou…
Barcelona embolsa R$ 38 milhões com saída de Mascherano
Nem Messi, nem Cristiano Ronaldo: veja que jogador ganhou mais dinheiro
Zidane supera Del Bosque e se torna o segundo técnico com mais títulos pelo Real Madrid

“Independentemente de atleta ou treinador, é a vontade de estar ao ar livre lidando com as experiências que eu aprendi ao longo dos 27 anos jogando futebol. Eu percebi que havia espaço para ser técnico de futebol e decidi vir para a sala de aula adquirir conhecimento. Estou em uma turma com mais de 56 pessoas, que treinam diversos times no Brasil, auxiliares, analistas e preparadores físicos. Existe uma troca de experiências muito grande entre todas essas partes”, diz um empolgado Rogério Ceni.

Publicidade

 

Volta por cima

O ex-goleiro ficou seis meses no comando do Tricolor Paulista, a partir do fim de 2016. Acabou demitido do cargo, em razão do baixo rendimento do São Paulo na temporada. Assim, após alguns cursos na Europa, Rogério Ceni decidiu se qualificar no curso da CBF.

“Hoje o treinador moderno tem que estar muito ligado. Ele pode dar mais importância para certa área, mas deve ter noção de todas elas. Dar atenção a parte de fisiologia, de preparação física, da psicologia, dentre outras. Estamos tratando com pessoas, gerindo talentos e grupos. E para isso se faz necessário o conhecimento extenso”, finalizou o treinador.

Publicidade

Que venha 2018… que venha o Fortaleza!