Não era o desejo… Flamengo e Fluminense acabam renovando com o Maracanã

publicado em 04/11/2020 às 7:45

Flamengo e Fluminense conseguiram estender o Termo de Permissão de Uso (TPU) do Maracanã junto ao Governo do Estado do Rio de Janeiro por mais 180 dias. Essa não era a prioridade dos clubes, que gostariam de participar de um processo de licitação para a concessão da administração do Maracanã por um período de 35 anos. O paliativo atrapalha as negociações a longo prazo, que poderiam gerar uma receita maior.

Torcida do Flamengo: "O Maraca é nosso!"

Maracanã segue sem receber público. Assim clubes têm prejuízo (Foto: Divulgação)

Os clubes querem logo pegar a administração do estádio por muitos anos para poderem negociar bons contratos. Assim um acordo de naming rights, por exemplo, poderia render uma boa renda a Flamengo e Fluminense. Os clubes inclusive tiveram patrocinadores em comum. Apesar de o relacionamento entre as diretorias não ser dos melhores, o Maracanã é tratado como algo acima de qualquer pendência. Mas mesmo que eles decidam por se separarem em um edital, a definição forçaria quem deixasse o comando do estádio a tomar um outro rumo. Assim o tema seria resolvido.

Leia também:

MQJ Memória: Zé Carlos, o Grandão do gol do Flamengo
MQJ Memória: Campeão mundial pelo Flamengo, Figueiredo morreu no auge da carreira 

Governo não conseguiu preparar edital do Maracanã

Maracanã tem novo gestor rival do Flamengo

Complexo do Maracanã administrado por Flamengo e Fluminense. Mas com problemas (Foto: Divulgação)

O Governo do Estado do Rio de Janeiro não conseguiu organizar um edital de licitação por uma série de motivos. A pandemia do Coronavírus está fazendo as secretarias trabalharem com forças reduzidas. No estado nem as aulas conseguiram ainda serem retomadas na rede pública de ensino.

Leia também:

MQJ Memória: Ézio, porque super-herói é pra isso
MQJ Memória: Assis, o carrasco do Flamengo

O processo de afastamento do governador Wilson Witzel também acaba interferindo. Isso pela falta de segurança jurídica para ações que não sejam emergenciais, como aquelas que envolvam saúde e segurança pública. Além disso o assunto não é prioridade em tempos de pandemia.

O novo acordo começa a vigorar em 1 de novembro e terá duração de seis meses. Neste período os clubes vão continuar gerindo conjuntamente o Complexo Maracanã, composto pelo estádio e pelo Maracanãzinho. Além disso tentando fazer receita com o estádio fechado.

Deixe seu comentário:

Comentário