Publicidade

Felipe Vizeu vira homem-gol do Flamengo na Copa Sul-Americana | Foto: Gilvan de Souza / Flamengo

Se tem uma característica da final da Sul-Americana é o equilíbrio. O Independiente, da Argentina, leva vantagem em alguns critérios. Porém, o Flamengo fica à frente em outros importantes fundamentos. A começar por finalizações.

Os argentinos finalizam mais, num total de 54 finalizações certeiras contra 73 equivocadas. O Flamengo, apesar de acertar menos finalizações (49), erra bem menos do que o rival, totalizando 51. Por isso o rendimento do Rubro-Negro nesse critério é de 49%, contra 42% do Independiente. A mira do Flamengo é melhor.

Publicidade

O Independiente finaliza mais dentro da área. Nesse critério é mais eficiente do que o Flamengo, que precisa se cuidar. São 43 finalizações certeiras dos argentinos contra 37 do Flamengo.

Mas, o maior perigo para o Rubro-Negro está na jogada aérea do Independiente. No total, o Flamengo até finaliza mais. Porém, os argentinos são mais eficientes, com aproveitamento de 58% contra 51% do Flamengo.

O Flamengo marcou 22 gols na Sul-Americana até aqui, contra 18 do Independiente. De cabeça, os dois times estão praticamente empatados, com 5 gols para o Flamengo e 4 para o Independiente. Os números mostram a tendência a uma final bastante emocionante.

O que diz a história?

Publicidade

O adversário do Flamengo na decisão da Copa Sul-Americana é indigesto, quando se trata de rivais brasileiros. Basta saber que o “Rei das Copas”, como é chamado o Independiente, já esteve em sete finais de Libertadores. Um detalhe importante: venceu todas.

Famoso no radiojornalismo esportivo, Washington Rodrigues já foi técnico do Flamengo (Reprodução) Famoso no radiojornalismo esportivo, Washington Rodrigues já foi técnico do Flamengo (Reprodução)

Foram duas em cima de times brasileiros, em 1974 e em 1984. Na primeira, despachou o São Paulo do técnico José Poy. Na segunda, a vítima foi o Grêmio, do técnico Carlos Froner, e que contava com Renato Gaúcho no ataque.

O Independiente decidiu o título de 2010 da Sul-Americana, contra o Goiás. Levou o título na decisão por pênaltis, em Alvellaneda. No total, o Independiente jogou seis finais contra times brasileiros, vencendo quatro. Aliás, Flamengo e Independiente já se encontraram antes na final de Supercopa dos Campeões, em 1995. Na ocasião, o Rubro-Negro perdeu o primeiro jogo por 2 a 0, vencendo o segundo por 1 a 0. Assim, o título ficou com os argentinos, lembrando que o Flamengo tinha Sávio e Romário em campo, comandados pelo radialista Washington Rodrigues.

Publicidade

A final desta edição da Sul-Americana é uma oportunidade de revanche para o Flamengo.

LEIA MAIS

Brasil escapa de chave da morte, mas encara dois europeus: os grupos da Copa do Mundo
Revanche com Alemanha, França e até Argentina no caminho: o Brasil rumo ao hexa
Felipe Vizeu renasce no Flamengo, supera 2016 e vira homem-gol na Sul-Americana
Neymar e Cristiano Ronaldo parecem ‘valorizar’ mais a Copa do Mundo do que Messi
Bebeto, Romário, Arão… Lucas Lima: vira-casacas históricos e até polêmicos
Neymar supera Ibrahimovic e Cavani no começo de temporada no PSG
Gaúchos são os que mais vencem Libertadores por clubes brasileiros
Novidade: vem aí a super Copa do Mundo de clubes da Fifa