Publicidade

De apenas 16 anos, o atacante Lincoln foi relacionado pela primeira vez pelo Flamengo para o duelo com o Cruzeiro, nesta quarta-feira, pelo Campeonato Brasileiro. O jovem é cercado de expectativa e mais uma cria da base rubro-negra. Ele é da geração de 2000, a mesma de Vinicius Júnior, integrado ao profissional do Fla desde o meio do ano.

A vez de Lincoln: garoto é cercado de expectativa no Flamengo | Foto: Divulgação

Lincoln, a exemplo de Vinicius Júnior, ganhou projeção na Copinha. O título do Sul-Americano Sub-17 com a seleção brasileira deu ainda mais destaque ao jovem – ele fez cinco gols em oito jogos. No Mundial da categoria, ele fez três gols em sete partidas. Nesta semana, Lincoln foi promovido ao profissional.

LEIA MAIS

Publicidade

Há vida sem Guerrero? As soluções e o problema que o Flamengo precisa resolver
Flamengo fecha 2017 como pesadelo dos rivais e bom desempenho em clássicos
Título, Libertadores e risco de queda: veja as chances do seu time no Brasileiro
Confira a classificação do segundo turno do Campeonato Brasileiro
Da zona da degola à Libertadores? São Paulo entra na briga pelo G-7

O jovem é mais uma promessa rubro-negra que vai buscar se tornar realidade. De 2000, ano em que Lincoln nasceu, para cá, o Flamengo revelou alguns atacantes que deram certo e outros que frustraram a Nação. Confira a lista.

Adriano Imperador

É o nome de maior sucesso. Adriano estreou pelo profissional do Flamengo em 2000. Porém, a glória foi alcançada nove anos depois, já com a alcunha de Imperador. Ele levou o Rubro-Negro ao hexacampeonato brasileiro. Ao todo, soma 94 jogos e 46 gols com o manto.

Adriano fez história com a camisa do Flamengo | Foto: Alexandre Vidal / Flamengo

Bruno Mezenga

Publicidade

Máquina de fazer gols na base, Bruno Mezenga era cercado de expectativa. A estreia pelo profissional foi com apenas 16 anos, em 2005. Naquele ano, o melhor lance foi um chapéu no zagueiro Gamarra, à época no Palmeiras. Porém, o centroavante não teve sucesso no time principal. Só foi balançar a rede pelo clube em 2010, quando fez quatro gols em 12 jogos. Ao todo, disputou 32 partidas. Atualmente, aos 29 anos, defende o Eskisehirspor, da Segunda Divisão da Turquia.

Bruno Mezenga não correspondeu à expectativa no Flamengo | Foto: Divulgação

Fabiano Oliveira

Praticamente da mesma geração da de Bruno Mezenga, Fabiano Oliveira formava um ataque poderoso na base, mas também não teve muito sucesso no profissional. Em 2005, fez quatro gols em 26 jogos. Repetiu a mesma marca no ano seguinte, em 22 jogos. Depois, rodou por clubes de Portugal, Turquia e do Rio de Janeiro. Aos 30 anos, está no Birkirkara, de Malta.

Depois do Flamengo, Fabiano Oliveira rodou por clubes do Rio | Foto: Divulgação

Kayke

Em 2007, Kayke fez apenas quatro jogos pelo profissional do Flamengo. Cria da Gávea, ele rodou por 12 clubes até voltar para o Rubro-Negro em 2015. Como substituto de Guerrero, agradou à torcida e marcou seis gols em 16 jogos. Atualmente, está no Santos.

Kayke se destacou pelo Flamengo em 2015 | Foto: Divulgação

Paulo Sérgio

Publicidade

Cercado de expectativa, Paulo Sérgio foi integrado ao profissional do Flamengo em 2007 – chegou a entrar em jogos da Libertadores. Porém, não conseguiu repetir o sucesso que teve na base. Foi emprestado pelo clube em 2009, voltou no ano seguinte e depois teve outra chance em 2012. Pelo Rubro-Negro, soma 32 jogos e quatro gols. Está no Fortaleza.

Paulo Sérgio chegou a jogar Libertadores pelo Flamengo | Foto: Divulgação

Negueba

Na reta final de 2010, Vanderlei Luxemburgo deu chances a Negueba no time principal. Inicialmente, ele virou um xodó da torcida. O apelido “Alegria nas pernas” cativava. Porém, a alegria não durou muito. Foi emprestado para o São Paulo em 2013 e voltou para o Fla em 2014, ano em que se despediu do clube. Ele soma 90 jogos e seis gols pelo Flamengo. Atualmente, está no Londrina.

‘Alegria nas pernas’: Negueba jogou ao lado de Ronaldinho Gaúcho | Foto: Divulgação

Diego Maurício

O Drogbinha da Gávea fez sucesso de início, mas não deixou saudade na torcida quando foi para o futebol russo, em 2012. Ele surgiu em 2010, quando fez cinco gols em 29 jogos. Ao todo, fez 79 partidas e oito gols pelo Fla. Atualmente, está no Gangwon, da Coreia do Sul.

Drogbinha não deixou muita saudade no Flamengo | Foto: Divulgação FlaImagem

Nixon

Publicidade

Em 2012, Nixon ganhou as primeiras chances no profissional e ficou no elenco até 2015. Ao todo, disputou 75 jogos e fez 14 gols com a camisa rubro-negra. Atualmente, está no ABC.

Nixon disputou 75 jogos pelo Flamengo | Foto: Divulgação

Rafinha

O começo de Rafinha pelo Flamengo foi fulminante – deitou e rolou para cima de Dedé, à época no Vasco. Porém, o sucesso foi curto. Ele defendeu o time em 2013, quando fez três gols em 43 jogos. Hoje, está no Thai Honda, da Tailândia.

Rafinha fez sucesso em um clássico contra o Vasco | Foto: Divulgação

Douglas Baggio

Na base, Douglas Baggio chegou a fazer 72 gols, em 2012. Porém, teve poucas chances no profissional rubro-negro. Foram apenas cinco partidas, sendo a primeira em 2014, e apenas um gol marcado. Baggio, aos 22 anos, está no Luverdense.

Douglas Baggio fez 72 gols em 2012 na base: poucas chances no profissional | Foto: Divulgação

Felipe Vizeu

Publicidade

O centroavante foi promovido ao profissional no ano passado, quando viveu seu melhor momento pelo clube. Ele tenta recuperar espaço agora – chegou a ver Paquetá ser improvisado no ataque. Ao todo, disputou 54 jogos e fez 13 gols pelo Fla.

Após gol no Fla-Flu, Vizeu recupera espaço e confiança no Rubro-Negro | Foto: Gilvan de Souza / Flamengo

Vinicius Júnior

Parceiro de Lincoln na base, Vincius Júnior subiu ao profissional já vendido ao Real Madrid pela bagatela de cerca de R$ 160 milhões. Ele já disputou 29 jogos e marcou três gols pelo Flamengo.

Vinicius Júnior é da mesma geração de Lincoln | Foto: Gilvan de Souza / Flamengo