Publicidade

O Fluminense deu um passo gigantesco para conseguir a classificação para as quartas de final da Copa Libertadores. O Tricolor não se intimidou pelo fato de jogar no Estádio General Pablo Rojas, em Assunção, no Paraguai, e derrotou o Cerro Porteño por 2 a 0 pela rodada de ida das oitavas de final.

Os gols de Nenê e de Egídio, ambos no segundo tempo, dão tranquilidade ao Tricolor, que pode perder o jogo de volta por um gol de diferença. Além disso, como o gol fora de casa é critério de desempate, o Cerro só avança se vencer por dois gols de vantagem no Brasil a partir de 3 a 1.

Nenê abriu o caminho para a vitória do Fluminense (Foto: Conmebol/Divulgação)

As duas equipes farão o duelo de volta na próxima terça-feira, às 19h15(de Brasília), no Maracanã, no Rio de Janeiro. Mas antes disso o Fluminense entra em campo pelo Campeonato Brasileiro. O Tricolor recebe o Grêmio na noite de sábado, às 21h(de Brasília), também no Maracanã.

Fluzão começou impondo ritmo forte

Marcos Felipe neutraliza a jogada aérea do Fluminense. Assim não foi vazado. (Foto: Conmebol/Divulgação)

Publicidade

Os primeiros trinta minutos de jogo foram uma espécie de defesa contra ataque, com o Fluminense pressionando o Cerro. Aos seis minutos, Nenê tabelou com Caio Paulista e chutou para grande defesa do goleiro brasileiro Jean. Três minutos depois o arqueiro voltaria a salvar o time em uma bomba de Yago. Já aos 11 minutos foi a vez de Egídio cruzar e Abel Hernández, de ombro, mandar a bola para fora.

MAIS! Relembre as grandes zebras da Libertadores

A pressão do Fluminense parecia insuportável em alguns momentos. Aos 24 minutos, por exemplo, Abel Hernández tirou tinta da trave com um chute após receber assistência de Gabriel Teixeira. Três minutos depois Nenê cobrou falta na trave.

Publicidade

O Cerro Porteño só conseguiu se insinuar pela primeira vez aos 32 minutos. Espínola foi ao fundo e cruzou para trás, Morales bateu de primeira e mandou para fora. Três minutos depois o goleiro Marcos Felipe trabalhou pela primeira vez. Ele salvou uma cabeçada de Boselli. Aos quarenta minutos o ex-atacante até mandou a bola para a rede após driblar o goleiro, mas o árbitro argentino Facundo Tello, com a ajuda do VAR, pegou impedimento no lance.

Fluminense decidiu no começo do segundo tempo

Cerro Porteño e Fluminense fizeram um duelo equilibrado. Mas Tricolor levou a melhor (Foto: Conmebol/Divulgação)

Na volta para o segundo tempo o Fluminense abriu o placar logo aos três minutos. Em jogada que se iniciou com Luiz Henrique, que tinha entrado na vaga de Gabriel Teixeira na volta do intervalo, a bola se ofereceu para Nenê. Ele chutou da entrada da área e mandou a bola no canto esquerdo de Jean. Assim Nenê se tornou o jogador mais velho a fazer um gol nas oitavas da Libertadores. Ele tem 39 anos. Além disso teve grande atuação enquanto esteve em campo.

O Fluminense não diminuiu o ritmo e ampliou aos 15 minutos. Nenê fez jogada pela esquerda e cruzou, Caio Paulista dividiu com Carrascal e a bola sobrou para o chute certeiro de Egídio. Assim a vantagem aumentou.

Relacionadas

Nino Seleção Olímpica
Messi Brasil x Argentina Copa América

Publicidade

Com a ampla vantagem do Fluminense o jogo ficou aberto. O Cerro Porteño tentava reduzir o placar, mas apostando em lançamentos facilmente neutralizados pela defesa brasileira. Já o Tricolor apostava nos contra-ataques, mas pecava no último toque. Assim o placar ficou nos 2 a 0. Entretanto os brasileiros não vão reclamar por isso. Afinal de contas, é cheiro de quartas de final.

FICHA TÉCNICA
CERRO PORTEÑO-PAR 0 X 2 FLUMINENSE-BRA

Local: Estádio Estádio General Pablo Rojas, em Assunção (Paraguai)
Data: 13 de julho de 2021, terça-feira
Hora: 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Facundo Tello (ARG)
Assistentes: Cristian Navarro (ARG) e Julio Fernández (ARG)
VAR: Cesar Deishler (CHI)
Renda e público: Jogo disputado com portões fechados por conta da pandemia
Cartões amarelos: Alexis Duarte (Cerro Porteño)
Gols:
FLUMINENSE: Nenê aos 3 e Egídio aos 15 minutos do 2º Tempo

Publicidade

CERRO PORTEÑO: Jean, Alberto Espínola (Fernando Romero), Alexis Duarte, Delvalle e Morales (Adrián Martínez); Alan Rodríguez, Rafael Carrascal (Bobadilla), Mathías Vilassanti e Claudio Aquino; Matheus Gonçalves (Giménez) e Mauro Boselli (Fariña)
Técnico: Francisco Arce
FLUMINENSE: Marcos Felipe, Samuel Xavier, Manoel, Luccas Claro e Egídio; André, Yago e Nenê (Cazares); Gabriel Teixeira (Luiz Henrique), Caio Paulista (Kayky) e Abel Hernández (Lucca)
Técnico: Roger Machado

Comentários