Publicidade

Demitido do Fluminense, Roger Machado sofria muitas críticas da torcida do Fluminense pela postura do time em campo. Principalmente contra rivais qualificados, o Tricolor se fechava na defesa e procurava jogar apenas nos contra-ataques. Após os duelos a nat30uralidade com que o treinador falava dessas situações gerava grande desconforto. A cena se repetiu nesta segunda-feira, após o Tricolor vencer o Bahia por 2 a 0 no Maracanã. Mas o personagem da vez foi Marcão.

Apesar da vitória no Maracanã, o Fluminense foi dominado a maior parte do segundo tempo. Nos 15 minutos finais a pressão do Bahia parecia caminhar para o gol de empate. Mas o Tricolor carioca segurou as ações e ainda chegou ao segundo gol nos acréscimos.

Marcão viu Bahia dominar na reta final. Mas encarou com naturalidade (Foto: Lucas Merçon/Fluminense)

Marcão agiu com naturalidade diante do domínio baiano.

Publicidade

– Queremos sempre o Fluminense jogando bem, construindo. Mas quando não dá, como foi hoje, é saber sofrer no momento certo e sermos eficientes lá na frente quando a oportunidade aparecer – analisou o treinador.

MAIS! O drama do Fluminense com as lesões

Questionado se o time treinava para sair desse tipo de situação, o treinador mostrou um conformismo capaz de deixar Roger corado.

Publicidade

– Nós trabalhamos para que tudo dê certo ao longo dos treinos, para que a gente consiga se impor nos jogos. Lógico que queremos o Fluminense criando várias oportunidades. Só que encontramos um adversário que conseguiu anular a nossa criação – concluiu o treinador.

Relacionadas

Agora o Fluminense volta as suas baterias para o duelo com o Juventude. As duas equipes se enfrentam nesta quinta-feira, às 19h(de Brasília), no Maracanã, no Rio de Janeiro. Marcão deve definir o time nesta quarta-feira.

Comentários