Publicidade

O Atlético-GO se confirmou como pedra no sapato do Fluminense em 2020. Eliminado pelo Dragão na Copa do Brasil com uma derrota por 3 a 1, o Tricolor sofreu novo revés, em Goiânia, agora por 2 a 1 na noite desta quarta-feira, pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Marcão Fluminense Marcão analisa a derrota do Fluminense para o Atlético-GO | Foto: Mailson Santana / Fluminense / Divulgação

Com uma atuação muito ruim, o Fluminense continua fora do G-6 e ainda pode perder a sétima posição para o Santos, que enfrenta o Vasco no domingo, em São Januário.

LEIA MAIS! Derrota para o Atlético-GO liga sinal de alerta no Fluminense

Publicidade

O técnico Marcão tentou explicar o que aconteceu em campo em entrevista após a partida.

– Buscamos manter nossa marcação na linha média, manter a posse e trabalhar nas transições que tanto exigimos, tanto pedimos. Sabíamos da pressão alta da marcação do adversário. Treinamos algumas situações, a penetração do Michel, que não funcionou no 1º tempo – analisou o treinador.

Marcão mudou o Fluminense logo no intervalo

Em Goiânia, o treinador mexeu no time já no intervalo e colocou Fernando Pacheco no lugar de Michel Araújo.

Publicidade

– No 2º tempo, preterimos o Michel e botamos o Pacheco, já que não tinha funcionado a estratégia. Um pouco depois colocamos o Lucca para buscar a profundidade do outro lado. Ele treinou bem durante a semana, fez essa função. Procuramos profundidade, mas não conseguimos – completou.

MAIS! Marcos Paulo faz contraproposta realista e fica perto de renovar com Fluminense

Marcão afirmou que o objetivo em Goiânia era repetir a atuação da partida contra o Vasco, no último domingo. No clássico carioca, o Tricolor saiu na frente após um bom primeiro tempo.

Publicidade

– Na verdade foi esse equilíbrio que tentamos para essa partida, o do primeiro tempo do jogo do Vasco, manter aquela organização ofensiva. Mas no primeiro tempo aqui não conseguimos fazer isso. Tanto que já no intervalo, buscamos um jogador de velocidade, de canto, para dar profundidade, fazer essa bola chegar mais nos nossos atacantes de centro. Não gostamos da nossa postura no primeiro tempo, não ter feito o que fizemos no jogo passado – explicou.

O Fluminense só volta a entrar em campo no sábado, 26 de dezembro, no confronto diante do líder do Brasileiro, o São Paulo.