Publicidade

Uma lesão no músculo posterior da coxa esquerda tirou o meia Nenê do time do Fluminense no decorrer da vitória de 3 a 1 sobre o Santos. Mas a situação é ainda pior. O atleta foi vetado para a partida de sábado à noite contra o Fortaleza, no Ceará, pela última rodada do primeiro turno do Campeonato Brasileiro. Artilheiro do Tricolor na temporada, com 19 gols anotados, o jogador é o líder dentro de campo e comanda a equipe. A questão agora é: Há vida sem Nenê? O técnico Odair Hellmann está aproveitando a semana livre sem jogos para estudar as opções.

Nenê vai desfalcar o Fluminense (Foto: Mailson Santana /Fluminense)

Se for seguir o que fez no decorrer do jogo contra o Santos, ele pode colocar Marcos Paulo, tornando o Tricolor bem mais ofensivo. O jovem, revelado nas categorias de base, encostaria mais na frente com Fred.

Leia também:

Publicidade

Fluminense combate a euforia para não cair de produção
Fortaleza é a chance de consolidar de vez o Fluminense no topo do Brasileirão

Marcos Paulo entrou muito bem contra o Santos e impressionou o treinador. Mas talvez seja uma postura ofensiva demais para um jogo fora de casa. Isso talvez também deixe o jovem Miguel como um azarão nesta disputa.

Ganso tem a chance de mostrar seu talento

Ganso pode ganhar a vaga de Nenê (Foto: Divulgação Fluminense)

Se optar por uma substituição pura e simples, Odair pode dar uma oportunidade a Paulo Henrique Ganso. O ex-santista tem entrado bem no decorrer dos jogos e pode ter neste jogo a grande oportunidade de mostrar que realmente pode fazer diferença no elenco.

Publicidade

Odair entende que a disputa por posições e o rodízio do plantel podem fazer diferença.

– É nessa disputa, nesse respeito entre jogadores, que vamos evoluir como grupo e como time. E eu, como treinador, tenho que saber a melhor forma de aproveitar todos esses jogadores – analisou o comandante.

Ainda na lista de opções do treinador aparece Wellington Silva, que vinha jogando aberto pelo lado esquerdo do ataque antes de perder posição. O treinador deve definir nos próximos treinos a escalação.