Publicidade

Após a derrota por 1 a 0 para o Atlético-GO em Goiás o Fluminense minimizou o resultado. Isso porque apostava em uma sequência de quatro partidas no Rio de Janeiro para embalar no Campeonato Brasileiro. Mas com 50% desta série completa, o Tricolor já sabe que não vai conseguir os cem por cento de aproveitamento.

Pior do que isso, o Fluminense ainda não ganhou. Foram dois jogos: empate por 1 a 1 com o Corinthians e a goleada de 4 a 1 para o Athletico-PR. Na sequência vem o clássico contra o Flamengo, que deixou a capital carioca e será disputado em São Paulo por conta da pandemia.

Fluminense sofreu para neutralizar o Furacão (Foto: Lucas Merçon/Fluminense)

Com um ponto conquistado em seis possíveis, o Tricolor estacionou nos 11 pontos e já não tem muito perto o G-4. Além disso começa a se preocupar com a segunda parte da tabela de classificação. O técnico Roger Machado sabe que precisa reagir rapidamente.

Publicidade

– Temos que reagir rapidamente. Juntar os cacos, lamber as feridas e enfrentar a situação de frente. Colher os ensinamentos do jogo e buscar o triunfo no clássico – disse o treinador.

Clássico é sinal de alerta

Roger Machado observa o jogo contra o Furacão (Foto: Lucas Merçon/Fluminense)

Roger Machado sabe que a pressão contra o Flamengo é muito grande.

– Nós temos consciência do que nos espera em termos de dificuldades. É o único clássico que a gente tem para disputar contra equipes do Rio de Janeiro neste Campeonato Brasileiro e isso faz crescer a pressão e a nossa responsabilidade – disse ele.

Publicidade

MAIS! Roger admite que Fluminense perdeu o controle

Para piorar a situação do time das Laranjeiras o tempo para consertar erros é muito curto. No domingo o Fluminense tem o clássico com o Flamengo às 16h(de Brasília). O duelo será na Neo Química Arena, em São Paulo (SP). Após este jogo o Fluminense encerra a série caseira contra o Ceará, no meio da próxima semana.

Relacionadas

Raúl Bobadilla Fluminense
01

 

Comentários