Publicidade

Ao contrário de seus rivais cariocas, o Fluminense bancou Odair nos momentos difíceis e soube dar continuidade ao trabalho do treinador. Apesar de alguns fracassos ao longo da temporada, o Tricolor manteve Odair Hellmann no cargo e a estabilidade vinha dando resultados. Mesmo com um orçamento limitado, o Tricolor é o quinto colocado na tabela do Brasileiro.

Odair Hellmann, do Fluminense Odair Hellmann (Foto: Lucas Merçon/FFC)

Entretanto, o bom desempenho do treinador despertou o interesse do futebol árabe, e nesta segunda-feira, o clube foi surpreendido com a comunicação de sua saída. Odair aceitou uma proposta o Al Wasl, dos Emirados Árabes Unidos.

A reação da diretoria comandada pelo presidente Mário Bittencourt foi no sentido de tentar manter o profissional. Contudo, um tempo maior de contrato e reajustes graduais de salário não foram suficientes para ele mudar de ideia.

Publicidade

Segundo informações do repórter Victor Lessa, da Rádio Globo, o Al Wasl é o clube mais rico de Dubai, e pagará cerca de 1 milhão de Reais por mês ao treinador. Além disso, seu auxiliar Maurício Dulac receberá salário maior do que Odair tinha no Fluminense.

Leia também:

Odair cita proposta irrecusável para explicar saída

Publicidade

Mais um! Digão aceita proposta e está de saída

Com contrato com o Flu somente até o final do ano, Odair não teve problemas para antecipar sua saída. Então, nesta terça-feira, ele esteve no CT Carlos Castilho para se despedir dos jogadores e funcionários.

Odair Hellmann assumiu o Fluminense em janeiro e comandou a equipe em 50 jogos, com 56% de aproveitamento.