Publicidade

A vitória do Flamengo por 4 a 3 sobre o Bahia neste domingo, no Maracanã, foi cercada de polêmicas e emoções fortes. A expulsão de Gabigol logo aos nove minutos, VAR acionado várias vezes e discussões acaloradas entre os jogadores dentro de campo. Após a partida, entretanto, o meia Gerson revelou ter recebido o meia Juan Ramírez, do Bahia, de ato de racismo.

Gerson denuncia racismo (Reprodução ge)

O lance aconteceu no início do segundo tempo e se estendeu por alguns minutos. Não houve briga, mas muita discussão e até o técnico Mano Menezes se envolveu na questão.

Escolhido o melhor da partida, Gerson aproveitou a entrevista para desabafar.

Publicidade

– Eu quero falar uma coisa, porque eu tenho vários anos pelo profissional e eu nunca vim aqui na imprensa falar nada porque eu nunca sofri esse preconceito. Nunca fui vítima, mesmo sendo eliminado de Libertadores, Copa do Brasil, eu nunca sofri esse preconceito – disse Gerson.

Leia também:

Na raça! Com 10, Flamengo bate Bahia com virada no final

Publicidade

Além do jogador colombiano, o meia do Flamengo também criticou a postura do técnico Mano Menezes.

– E até depois o Mano até falou: “agora você é vítima né, o Daniel Alves te atropelou e você não falou nada”. Claro, porque teve respeito, eu e ele. O Ramírez, quando a gente tomou o segundo gol, eu acho, não lembro, o Bruno foi chutar a bola e ele reclamou. Eu fui falar com ele e ele falou bem assim: “cala a boca negro”. Eu nunca falei porque nunca sofri, mas isso aí eu não aceito, não aceito – revelou.

– Eu nunca falei de treinador, mas o Mano, ele tem que saber respeitar. Eu vim falar aqui em nome de todos os negros que existem no Brasil – finalizou Gerson.