Publicidade

A vitória épica do Flamengo sobre o Bahia neste domingo no Maracanã teve muitos episódios polêmicos. Uma delas foi a expulsão de Gabigol logo aos 9 minutos de jogo, por suposta ofensa ao árbitro Flávio Rodrigues de Souza. A revolta rubro-negra com o lance foi expressada pelo presidente Rodolfo Landim, que detona arbitragem paulista em entrevista ainda no estádio.

Rodolfo Landim (Reprodução Youtube)

Gabigol estava próximo da área do Bahia e preparava o chute a gol quando caiu no gramado. O camisa 9 reclamou de falta, mas o lance seguiu e o árbitro já acompanhava a sequência do jogo. De costas para o atacante e a uns 20 metros de distância, Flávio Rodrigues de Souza deu meia volta e sacou o cartão vermelho do bolso.

– Eu nunca vi um jogador, por mais que ele (o árbitro) alegue que “eu ouvi daqui que ele xingou”, receber cartão vermelho porque xingou um juiz caído, sentado no chão. Isso jamais aconteceu em toda minha vida. Eu já vi ele ganhar um segundo cartão amarelo, mas ser expulso direto, com um cartão vermelho, é lamentável – afirmou Landim em entrevista ao Canal Paparazzo Rubro-Negro.

Publicidade

– Estragou o espetáculo e aí a gente começa a ficar pensando porque que a gente pediu pra trocar a arbitragem e não trocou. E foi esse horror que a gente viu aí. Então no fundo é revoltante mesmo, e acho que todos nós acabamos ficando revoltados. E imagino que qualquer pessoa, independente de ser Flamengo ou não, que goste de futebol, ao assistir esse jogo e vir isso que aconteceu vai ficar revoltada – completou.

Leia também:

Flamengo reclama da escalação de arbitragem paulista no domingo

Com 10, Flamengo bate Bahia com virada no final

Publicidade

Embora o Flamengo esteja disputando o título brasileiro com o São Paulo, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) escalou um trio de arbitragem e o árbitro de vídeo da Federação Paulista. O Flamengo tentou junto à CBF, a troca dos mesmos, mas a entidade rejeitou a demanda.

– Colocar uma arbitragem paulista num jogo tão importante quanto esse, pode ter influencias de pressões de federação. Sei lá, a gente preferia que a coisa fosse feita com alguém independente. O futebol é um esporte onde a gente investe milhões. O orçamento são centenas de milhões de Reais que são investidos. Pra gente acabar chegando aqui e ver uma coisa dessas ser destruída por uma arbitragem desse tipo, aonde um juiz faz isso – disparou Landim.