Publicidade

O Flamengo é um time com um histórico de peso na Copa do Brasil. É a terceira equipe no ranking de títulos com três conquistas e quatro vices. Já o São Paulo, seu adversário desta quarta-feira pelas oitavas de final, tem apenas um vice no currículo, em 2000. Entretanto, o Flamengo nunca virou fora de casa no mata-mata nacional.

Rogério Ceni, Flamengo Rogério Ceni tenta levar o Flamengo à virada inédita | Foto: Alexandre Vidal/CRF

Todas as vezes em que o Rubro-Negro teve o mando no jogo de ida e saiu em desvantagem, ele não conseguiu a virada. Isso aconteceu em quatro edições, em 2000, 2005, 2011 e 2015. Nas duas primeiras vezes, o revés foi diante do Ceará, e na terceira contra o rival Vasco.

Embora os tabus estejam aí para serem quebrados, não custa lembrar o que aconteceu no passado. O Santos atropelou o Flamengo em 2000 com um 4 a 0 no Rio, nas quartas. Na volta mais 4 gols, mas o placar ficou em 4 a 2.

Publicidade

Em 2005, com o Maracanã em obras, o Fla mandou o jogo de ida das quartas em Campo Grande-MS, mas o Ceará estragou a festa e venceu por 2 a 0. Na volta, em Fortaleza, o Flamengo abriu 2 a 0, mas cedeu o empate e deu adeus ao torneio.

Seis anos depois, a história se repetiu. Ceará 2 a 1 no Maracanã e novo empate em 2 a 2 no Castelão.

Na edição de 2015, as duas partidas contra o Vasco foram no Maracanã, mas o mando o Flamengo tinha o mando na ida. O Cruzmaltino venceu por 1 a 0  segurou o empate em 1 a 1 na volta.

Publicidade

Leia também:

Flamengo vive drama na Copa do Brasil sem Gabigol e Pedro

Histórico no Morumbi também não ajuda

O São Paulo venceu por 2 a 1 na última quarta-feira no jogo de ida das oitavas da Copa do Brasil. Então, o Flamengo terá a difícil missão de reverter a vantagem do Tricolor esta noite no Morumbi.

Publicidade

Além disso, derrotar o São Paulo em seus domínios nunca foi uma tarefa fácil para o Rubro-Negro. Em 55 jogos, o Flamengo venceu apenas 11. A última vez foi há 17 anos, pelo Brasileirão.

Curiosamente, Rogério Ceni e Fernando Diniz estavam em campo. Pois o atual técnico do Flamengo era o goleiro titular do Tricolor, enquanto Diniz, hoje comandante são-paulino, era titular do meio de campo Rubro-Negro.