Publicidade

O Flamengo, neste sábado, volta a um palco místico: o Estádio Centenário, em Montevidéu. Lá, em 1981, o clube carioca conquistou a Libertadores pela primeira vez. Agora, busca o tricampeonato e tem o Palmeiras pela frente.

O tradicional estádio uruguaio impõe respeito e é carregado de história. O Fla vai precisar lidar com esta “pressão a mais”. Filipe Luís dá recado.

Filipe Luís Flamengo Filipe Luís aponta o caminho | Foto: Alexandre Vidal / Flamengo / Divulgação

– É um estádio místico no mundo, mas que não pode abalar as nossas pernas na hora de jogar. Temos de pensar nas quatro linhas e a partir daí fazer o nosso jogo, para que o Flamengo possa render o máximo possível. É difícil, é um estádio tão imponente, com todo significado que tem, é difícil você limpar a cabeça, mas este tem de ser o nosso objetivo – declarou Filipe Luís, em material produzido pela Conmebol.

Relacionadas

Arrascaeta Flamengo
Gabigol Flamengo
Montevidéu Flamengo

Publicidade

O goleiro Diego Alves também abordou o tema. O elenco do Fla sabe o que tem pela frente na final da Libertadores.

MAIS! Flamengo tem último obstáculo para renovar com Arrascaeta

– A gente fala que, por ser onde o Flamengo conquistou, existe uma história muito grande naquele estádio, mas importante é ir com a cabeça focada no que a gente tem pela frente e conquistar o título – declarou.

Publicidade

MAIS! Jorge Jesus põe fé no Flamengo na final da Libertadores

No místico Centenário, o Flamengo decide a Libertadores com o Palmeiras, neste sábado, às 17h (horário de Brasília).

Comentários