Publicidade

O Flamengo anunciou, nesta segunda-feira, a saída do técnico Renato Gaúcho. O técnico não resistiu à perda do título da Libertadores para o Palmeiras, no sábado.

Após a final no Uruguai, Renato passou a bola para a diretoria, dizendo que ela poderia responder se ele permaneceria no clube. No domingo, no retorno da delegação rubro-negra, Marcos Braz, vice-presidente de futebol, pregou calma para tomar decisões, mas não bancou a continuidade do técnico.

Publicidade

Renato Gaúcho chegou ao Flamengo em julho, para substituir a Rogério Ceni. O Fla estava vivo nas três frentes. O começo do técnico foi promissor, com vitórias seguidas, algumas delas por goleadas.

Entretanto, a boa fase terminou em outubro. O Flamengo passou a oscilar, colecionou tropeços e se enrolou no Brasileirão. A eliminação para o Athletico-PR, na semifinal da Copa do Brasil, aumentou a pressão. Naquela ocasião, no dia 27 de outubro, Renato colocou o cargo à disposição. A diretoria não aceitou e bancou a permanência do técnico.

Publicidade

Um mês depois, na derrota para o Palmeiras, o futuro de Renato já estava sentenciado. Faltava definir se ele cumpriria o contrato, até o fim do ano, ou se a saída seria imediata. Prevaleceu a segunda opção.

Renato Gaúcho comandou o Flamengo em 37 jogos: foram 24 vitórias, oito empates e cinco derrotas.

Comentários