Publicidade

O goleiro Diego Alves foi um dos heróis do Flamengo na vitória sobre o Palmeiras que deu o título da Supercopa. No último domingo, em Brasília, o arqueiro foi fundamental na disputa de pênaltis após o empate em 2 a 2 no tempo normal. O momento mais crucial foi a cobrança de Danilo, na qual, embora não tenha tocado na bola, Diego Alves teve participação decisiva.

Diego Alves (Foto: Marcelo Cortes/Flamengo)

O Flamengo perdia por 3 a 1 nas penalidades e o Palmeira, portanto, seria campeão se convertesse mais uma. Diego Alves salvou a primeira na tentativa de Luan. Mas, na seguinte, o goleiro Rubro-Negro usou toda a sua experiência para tirar o foco do cobrador.

– Eu vou bem sincero, eu tava meio perdido nas cobranças. Aí eu falei (pro bandeira) “e agora, como é que ficou?” Aí ele falou “se fizer acaba de novo.” Aí eu me posicionei, conversei com o Danilo antes da cobrança, só que eu percebi que ele tava demorando muito. Eu não tenho como afirmar se era uma dúvida que ele tinha onde ia bater, ou se ele tava rezando… Não sei. Só que como ele tava demorando muito, até o Vuadem olhou pra mim, e então resolvi fazer o contrário, na hora que ele der o primeiro passo eu que vou sair e falar: “que negócio é esse?” E o Vuadem, ao invés de reclamar comigo, ele vai direto no Danilo e fala: “Oh Danilo, vamos bater. Eu já apitei faz tempo” – contou Diego Alves à Fla TV.

Publicidade

Leia também:

Diego Alves quase não jogou a final da Supercopa

– Eu vejo que o Danilo vem, ajeita a bola de novo. E quanto mais tempo passa, vai ficando difícil pro atacante. Eu tentei prolongar o máximo porque passa muita coisa na cabeça do jogador. São as armas que a gente tem pra usar, não foi por maldade – completou.

Danilo acerta a trave (Reprodução)

Publicidade

Na cobrança, o jogador do Palmeiras tentou acertar o canto direito, mas a bola bateu na trave e saiu. O Flamengo, então, voltou a igualdade e no final venceu a disputa por 6 a 5.