Publicidade

O futuro de Renato Gaúcho como treinador está por um fio e o jogo contra o Atlético-MG pode ser o último de sua passagem. A eliminação na Copa do Brasil para o Athletico-PR na noite desta quarta-feira foi um duro golpe para a equipe. Além disso, a derrota em casa foi a quarta partida sem vitória do Rubro-Negro na temporada.

O clima no Ninho do Urubu é de tensão e o time terá apenas três dias para se recuperar após perder de 3 a 0 para o Furacão, no Maracanã. Renato teria até colocado seu cargo à disposição, mas a diretoria preferiu mantê-lo.

Era Renato no Flamengo pode acabar no sábado contra o Atlético-MG (Foto: Alexandre Vidal/Flamengo)

– Quando eu fui contratado pelo Flamengo, nós estávamos em três competições. Infelizmente, nós saímos hoje da Copa do Brasil. Estou chateado, o grupo está chateado, está triste, nem poderia ser diferente. Até porque o nosso objetivo era ir a mais uma final. Temos algumas possibilidades ainda no Campeonato Brasileiro e estamos na final da Libertadores – afirmou Renato após a partida.

Publicidade

Embora com treze pontos a menos que o líder Galo, o Flamengo ainda tem chances de ser tricampeão brasileiro em 2021. Mas para isso será fundamental vencer o confronto direto deste sábado, no Maracanã. Assim, uma derrota tornará a missão rubro-negra quase impossível e a posição de Renato insustentável.

Leia Também:

Não deu! Flamengo perde para o Athletico e está fora da final

Gabigol: ‘Vamos dar a volta por cima’

Publicidade

– Nós temos chances no Brasileiro, lógico que as chances são remotas. A partir de amanhã (quinta-feira) é virar a página, pensar no Atlético no próximo sábado. E durante o Campeonato Brasileiro, enquanto tiver chance, a gente vai brigar e, ao mesmo tempo, a gente vai ajeitando a equipe para a final da Libertadores – disse o treinador.

Relacionadas

'Furacão, Furacão'!! Torcedor zomba de derrota do Flamengo em vídeo hilário - Foto: Reprodução

Além da disputa no Brasileirão, o Flamengo decidirá a Libertadores com o Palmeiras no próximo dia 27 de novembro, em Montevidéu, no Uruguai.

Comentários