Publicidade

Chay mostrou por que é o principal nome do Botafogo na Série B e salvou o time neste sábado, no Estádio Nilton Santos: 3 a 3 com o Cruzeiro, pela 11ª rodada. O atacante fez os três gols do time. O do empate foi aos 48 minutos do segundo tempo.

O Fogão retornou ao Nilton Santos, que estava cedido à Conmebol para a Copa América. Foi um jogo de altos e baixos. No fim, a estrela de Chay brilhou. O Botafogo evita uma derrota que poderia aumentar ainda mais pressão para cima de Marcelo Chamusca. O técnico lida com críticas.

Chay Botafogo Tem estrela! Chay salvou o time | Foto: Vitor Silva / Botafogo / Divulgação

O Botafogo agora amarga uma sequência de três jogos sem vencer na Série B – são dois empates e uma derrota. O Fogão tem 13 pontos em 10 jogos e está na 10ª colocação. O Cruzeiro, com 11 pontos em 11 partidas, está no 13º lugar.

Publicidade

Na próxima rodada, o Botafogo enfrenta o Brusque, fora de casa, no sábado, às 19h (de Brasília). O Cruzeiro recebe o Avaí, também no sábado, às 16h30 (de Brasília).

Botafogo sai na frente

O técnico Marcelo Chamusca promoveu uma mudança no gol. Ele colocou Diego Loureiro no lugar de Douglas Borges, criticado nos últimos jogos. Para o lugar de Luís Oyama, com desgaste físico, ele optou por Barreto.

Relacionadas

Honda, Botafogo

E Diego Loureiro precisou trabalhar logo nos primeiros segundos, em finalização de Marcinho. O goleiro do Botafogo espalmou. A resposta do Fogão não demorou. Aos três minutos, Rafael Navarro arriscou da entrada da área e viu Fábio mandar a escanteio. Aos sete, Diego Gonçalves fez jogada individual e foi derrubado por Léo Santos na área. Pênalti. Chay cobrou e fez 1 a 0.

Chay Botafogo x Cruzeiro Chay cobrou pênalti e marcou | Foto: Vitor Silva / Botafogo / Divulgação

Publicidade

O Cruzeiro precisou buscar mais o ataque. Após cobrança de escanteio, Rafael Navarro, ao tentar cortar, mandou no próprio travessão. O clube mineiro obrigou Diego Loureiro a trabalhar de novo. No fim do primeiro tempo, o goleiro espalmou chute de Giovanni.

Chay salva o Botafogo em segundo tempo eletrizante

O clube mineiro chegou ao empate aos nove minutos da etapa final. Bruno José fez jogada pela esquerda e cruzou. Gilvan tentou cortar, mas fez contra: 1 a 1. Chay voltou a aparecer para o Botafogo. Aos 16, a zaga mineira não afastou cruzamento de Daniel Borges, e fez 2 a 1. Foi o quinto gol dele na Série B.

O jogo ganhou em emoção. Após cruzamento da esquerda, a bola bateu no braço de Kanu. Pênalti. Marcelo Moreno, que entrou no intervalo, cobrou e Diego Loureiro defendeu, mas o rebote sobrou para ele marcar: 2 a 2, aos 21 minutos.

Publicidade

Marcelo Chamusca fez logo três alterações. Ele lançou Matheus Frizzo, Marco Antônio e Rafael Moura. Saíram Barreto, Marco Antônio e Rafael Navarro. Não deu nem tempo de surtir efeito. Diego Loureiro dividiu com Wellington Nem, que acabara de entrar, e a bola sobrou para Marcelo Moreno, que acertou o ângulo: 3 a 2, aos 24 minutos.

O Botafogo teve chance de empatar no fim, mas Marco Antônio parou em Fábio. A pressão deu certo. Aos 47 minutos, o meia foi derrubado na área. Pênalti. Chay bateu e empatou: 3 a 3, aos 48 minutos. Foi o sexto gol dele na Série B. Chay salvou o clube carioca.

FICHA TÉCNICA

BOTAFOGO 3X3 CRUZEIRO

Publicidade

Local: Estádio Nilton Santos, Rio de Janeiro (RJ)
Data: 10/07/2021, sábado
Horário: 16h30 (de Brasília)
Árbitro: Rodolpho Toski Marques (PR)
Assistentes: Jefferson Cleiton Piva da Silva (PR) e João Fábio Machado Brischiliari (PR)
Cartão amarelo: Léo Santos, Bruno José, Giovanni e Marcelo Moreno (Cruzeiro) e Marcelo Chamusca, Barreto e Gilvan (Botafogo)
Cartão vermelho: Mozart (Cruzeiro)
Gol:
Botafogo: Chay, aos 8′ do 1ºT e aos 16′ e 48′ do 2ºT,
Cruzeiro: Gilvan, gol contra, aos 9′ do 2ºT Marcelo Moreno, aos 21′ e aos 24′ do 2ºT

BOTAFOGO: Diego Loureiro; Daniel Borges (Warley), Kanu, Gilvan e Guilherme Santos (Rafael Carioca); Barreto (Matheus Frizzo), Pedro Castro e Felipe Ferreira (Marco Antônio); Chay, Diego Gonçalves e Rafael Navarro (Rafael Moura). Técnico: Marcelo Chamusca.

CRUZEIRO: Fábio; Cáceres (Norberto), Ramon, Léo Santos (Rhodolfo) e Jean Victor; Lucas Ventura (Flávio), Marcinho, Giovanni e Airton (Wellington Nem); Bruno José e Rafael Sobis (Marcelo Moreno). Técnico: Mozart.

Comentários