Publicidade

Penúltimo colocado no Campeonato Brasileiro, com um longo jejum sem vitórias e apenas 20 pontos conquistados. O Botafogo vive uma temporada para se esquecer. O mais engraçado é que algumas medidas são feitas e elas não surgem o efeito desejado. Assim o clube vai apelar para uma mãozinha dos céus e vai apostar no lado espiritual. De padre a pai de Santo, tudo é bem recebido pelos lados de General Severiano.

Eduardo Barroca, Botafogo Barroca contraiu Covid-19 (Foto: Botafogo / Divulgação)

Um padre vai visitar o clube para benzer o Estádio Nilton Santos. A ideia é tentar afastar problemas espirituais. A ida do religioso contou com o aval do presidente Nelson Mufarrej. Alguns dirigentes levantaram a possibilidade de levar um pai de Santo, mas existiu o temor de que isso pudesse gerar atritos com alguns atletas do elenco por conta de crenças religiosas.

Leia também:

Publicidade

Protestos da torcida do Botafogo fogem de controle
Barroca vai demorar mais tempo do que Ramón Díaz para dirigir o Botafogo

O fator decisivo para o clube pedir ajuda de um padre foi o fato de o técnico Eduardo Barroca ter contraído Covid-19. Assim ele vai ficar mais tempo afastado do elenco do que ficaria Ramón Díaz, demitido justamente porque ia demorar a se apresentar.

Doença de Barroca foi a gota d´água

Segundo uma fonte revelou ao MAIS QUE UM JOGO o fato chegou a ser recebido com risos irônicos no clube.

Publicidade

– Se contrata um treinador já sabendo que ele vai ficar uns dias fora por conta de uma cirurgia. Mas o caso dele acaba se complicando um pouco o que adiaria a apresentação. Aío o clube decide investir em outro nome e este nome só vai conseguir trabalhar depois do anterior. Isso realmente deixou a todos com uma pulga atrás da orelha. Como mal não vai fazer… – disse uma fonte ligada ao departamento de futebol.

Botafogo não consegue pegar no tranco

Estrangeiros não estão rendendo no Botafogo (Foto: Vitor Silva/Botafogo)

Alguns fatos são tratados pelos dirigentes botafoguenses, internamente, como questão espiritual. A diretoria entende que montou um time em condições de pelo menos brigar por um lugar no meio da tabela de classificação. Mas esse time não consegue decolar.

No entender dos dirigentes nomes como Gatito Fernández, Victor Luís, Keisuke Honda, Bruno Nazário, Salomon Kalou e Pedro Raul teriam condições de colocar o Botafogo em uma posição muito melhor do que a vista na tabela de classificação. Isso aliado a jovens crias da base que são uma realidade já, como os zagueiros Marcelo Benevenuto e Kanu e o volante Caio Alexandre. Assim a ordem é usar a reza brava para mudar a realidade no Brasileirão.