Publicidade

O Botafogo vai estrear na Série B do Campeonato Brasileiro na próxima sexta-feira. O time visita o Vila Nova em Goiás. O Glorioso disputou o torneio em 2003 e em 2015, conseguindo o acesso nas duas ocasiões. Mas jamais entrou na disputa com tanta insegurança como vai acontecer agora. Isso porque existe uma grande insatisfação com o trabalho do diretor de futebol Eduardo Freeland e também com o desempenho de Marcelo Chamusca. O técnico que ainda não conseguiu dar uma cara ao time.

No fim de semana o Botafogo derrotou o Vasco por 1 a 0 no tempo normal, mas perdeu nos pênaltis o título da Taça Rio. Apesar disso a boa atuação serviu para animar um pouco os torcedores, que pelo menos estão vendo um time organizado na defesa e com muita vontade.

Marcelo Chamusca Botafogo Chamusca vai ter que apontar os caminhos da Série B para o Botafogo (Foto: Vitor Silva / Botafogo)

Marcelo Chamusca sabe que já montou metade do time, restando o meio para frente.

Publicidade

– Estamos com um padrão na defesa muito positivo, sendo um dos times que menos sofreu gol na temporada. Além disso estamos conseguindo neutralizar os pontos fortes dos adversários e isso é muito importante nos dias de hoje. Estamos evoluindo, mas sabendo que há muito a progredir – analisou Chamusca.

Falta de reforços é o grande problema

Rafael Navarro vai iniciar a Série B como referência de ataque. Mas a torcida quer mais (Foto: Vitor Silva/ Botafogo)

O Botafogo tem na falta de reforços de peso o maior problema de sua temporada. Desde as saídas de Pedro Raul e Matheus Babi, por exemplo, o clube não consegue contratar uma referência para o comando do ataque. Fracassou em tentativas como a de Anselmo Ramon, que permaneceu na Chapecoense.

MAIS! Nome de Antônio Lopes ganha força no Botafogo

Publicidade

Outras vagas que pedem um investimento maior são as de primeiro volante e de um camisa 10. A criação de jogadas também não anima. Com Felipe Ferreira e Marcinho, dupla trazida por Chamusca após bom desempenho no Cuiabá, não conseguindo render, existe um claro hiato no time.

– Nós sabemos as nossas deficiências e a diretoria sempre trabalha no sentido de melhorar o grupo. Mas vamos para a Série B com o pensamento de conseguirmos ter um bom desempenho e ir crescendo com a competição – avisou Marcelo Chamusca.

O fraco desempenho de alguns reforços não se limita apenas à criação de jogadas. O lateral-esquerdo Rafael Carioca, por exemplo, ainda não conseguiu dizer a que veio. Além disso foi alvo de críticas.

PV, Pedro Castro e Ronald viram esperanças

PV Botafogo PV virou um protagonista no Botafogo (Foto: Vitor Silva / Botafogo)

Publicidade

Marcelo Chamusca realmente tem uma base defensiva boa. Kanu e Gilvam devem começar na zaga passando segurança. O setor conta ainda com um emergente Sousa, recentemente promovido das categorias de base e que mostra talento, e com o argentino Joel Carli. Há quem aposte que o velho conhecido da torcidas vai ganhar a vaga quando tiver a oportunidade. Douglas Borges não compromete debaixo da trave, mas a torcida ainda sonha com a volta do lesionado Gatito Fernández. O lateral-direito Jonathan disputa o posto com Warley, enquantoo que o jovem PV é a grande atração.

Relacionadas

PV Botafogo

Promovido das categorias de base, Paulo Victor viu o clube se esforçar para comprar seus direitosw federativos junto ao Nova Iguaçu. O jogador consegue conciliar uma boa chegada ao ataque com o não comprometimento do setor defensivo.

– Meu pensamento é conquistar este acesso e também fazer uma grande história no Botafogo – diz ele.

Publicidade

O meio-de-campo tem um dono. Contratado junto ao Avaí, Pedro Castro consegue dar organização ao posto. Além disso é figura constante nas finalizações, já tendo feito três gols na temporada. Chamusca espera um pouco mais de Ricardinho, veterano líder do meio-de-campo do Ceará, mas que ainda não está com cem por cento de suas condições.

MAIS! Saiba os passos da negociação com Ariel Cabral

O ataque hoje tem em Ronald a grande esperança. O ensaboado atacante promete criar problemas para as defesas rivais. Na falta de uma referência de centroavante, Rafael Navarro vai tentando mostrar aos botafoguenses que pode ser o camisa 9.

Publicidade

Time-base: Douglas Borges, Jonathan, Kanu, Gilvan e Paulo Victor; Matheus Frizzo, Pedro Castro, Ricardinho e Marco Antônio; Ronald e Rafael Navarro.

 

 

Comentários