Publicidade

A saída de Marcelo Chamusca do Botafogo não foi apenas por conta da irregularidade na campanha da Série B do Campeonato Brasileiro. O MAIS QUE UM JOGO apurou que o que vinha mais irritando os dirigentes eram as indicações equivocadas do treinador em relação a reforços. A gota d´água foi a atuação do boliviano Marcelo Moreno no empate por 3 a 3 com o Cruzeiro no último sábado, no Estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro.

Empresários ofereceram Marcelo Moreno ao Botafogo em fevereiro. Mas seu nome foi vetado por Marcelo Chamusca, que dizia querer jogadores com mais movimentação. O boliviano saiu do banco de reservas no último sábado para marcar dois gols e impedir a vitória alvinegra.

Marcelo Chamusca não fez boas indicações (Foto: Vitor Silva/ Botafogo)

Mas não foi só Marcelo Moreno que gerou esse incômodo com a diretoria. O nível dos reforços já havia sido motivo de discussões entre o CEO Jorge Braga e o diretor de futebol Eduardo Freeland. Justamente por conta desses impasses que o presidente Durcesio Mello assumiu a busca pelo novo treinador.

Publicidade

MAIS! Chaydependência liga sinal de alerta no Botafogo

Das indicações de Marcelo Chamusca algumas são nítidas que deram errado até o momento. São os casos dos meias Marcinho e Felipe Ferreira, ambos que trabalharam com Chamusca no Cuiabá. Com eles a diretoria queimou cartuchos em uma posição considerada fundamental para o sucesso do time.

Recusa por Rafael Carioca após saída de PV

Outra situação que irritou os dirigentes envolveu Rafael Carioca. O treinador indicou o lateral-esquerdo. Mas quando o clube vendeu PV para o Internacional, Chamusca optou por escalar Guilherme Santos. Assim irritou os dirigentes.

Relacionadas

Chamusca Botafogo

Publicidade

Por conta das indicações equivocadas da comissão técnica, o novo treinador chegará com pouca margem para indicar reforços. Mesmo assim o Botafogo deve ir ao mercado em busca de um zagueiro e de um meia.

Comentários