Publicidade

O Botafogo ganhou um importante desfalque para a sequência decisiva de jogos pelo Campeonato Brasileiro, mas encontrou no banco de reservas um velho conhecido. Com lesão no músculo anterior da coxa esquerda, o meia Honda deve ficar pelo menos um mês fora da equipe, entretanto, Cícero entrou bem em seu lugar diante do Coritiba.

Honda e Cícero (Foto: Vitor Silva/Botafogo)

Honda deixou o campo com dores na coxa aos 19 do segundo tempo no último sábado, quando sentiu dores na coxa. O Botafogo perdia por 1 a 0 no Couto Pereira, contudo, a entrada de Cícero mudou o panorama da partida. Dez minutos depois, o meia de 36 anos levantou na área e Pedro Raul desviou de cabeça para empatar. O gol deu início à reação do Fogão, que virou de pênalti aos 37.

Experiente e bastante rodado, Cícero se destacou em clubes como Fluminense, São Paulo, Santos e Grêmio, mas nunca foi unanimidade no Alvinegro. Ele chegou ao clube no início de 2019, mas esteve perto de sair este ano. Para permanecer, Cícero aceitou uma redução salarial. Seu contrato termina no final de 2020, mas uma cláusula de renovação automática garante sua permanência até o final do Brasileiro, em fevereiro.

Publicidade

Leia também:

Honda tem lesão e vira desfalque

Rafael Forster: ‘O resultado dá confiança no trabalho’

Publicidade

Com Honda fora de ação, Cícero se tornou uma das opções de Eduardo Barroca no meio-campo. O treinador talvez não o escale desde o início, mas pela sua experiência, poderá ser muito útil ao longo das partidas.

Na luta contra o rebaixamento, o Alvinegro tem jogos importantíssimos pela frente, a começar pelo duelo contra o Corinthians, no próximo domingo.