Publicidade

O Botafogo estava contando com o dinheiro que ganhou do processo envolvendo o volante Willian Arão para colocar algumas contas em dia e ajudar no planejamento para 2021. Entretanto ao que tudo indica o Alvinegro deve ficar com muito pouco dos quase R$ 4,9 milhões que tem a receber neste caso.

A Justiça condenou o volante a indenizar o Botafogo por ter deixado o clube em dezembro de 2015 sem respeitar a clausula que previa a renovação automática de contrato. Naquela época o Glorioso chegou a depositar R$ 400 mil em juízo e o dinheiro foi devolvido pelo atleta, que se transferiu ao Flamengo.

Willian Arão em ação pelo Botafogo (Foto: Vitor Silva/Botafogo)

Mas apesar da vitória na Justiça o Botafogo deve receber muito pouco. A Justiça já tinha autorizado o técnico Oswaldo de Oliveira a penhorar R$ 800 mil dessa quantia por conta de atrasados referentes ao período em que trabalhou no clube, entre 2012 e 2013.

Publicidade

MAIS! Luís Oyama cai nas graças de Túlio Maravilha

Além disso em uma primeira decisão o ex-goleiro Roger, que defendeu o Botafogo entre 2007 e 2008, e o preparador de goleiros Christiano Fonseca também conseguiram penhorar o que têm a receber na Justiça. O clube deve R$ 2,4 milhões ao arqueiro e R$ 1,1 milhão a Fonseca.

Relacionadas

Marcelo Chamusca Botafogo
Rafael Moura Botafogo

Se confirmadas essas penhoras,  o clube teria direito a ficar com cerca de R$ 600 mil do valor a receber por Willian Arão. Mas o clube tenta evitar isso. Entretanto o pagamento de dívidas antigas não deixa de ser dinheiro que minimiza os impactos financeiros do Glorioso.

Comentários