Publicidade

O Botafogo vem fazendo o que lhe cabe para cumprir o acordo judicial que suspende execuções e penhoras nas áreas vível e trabalhista. O clube carioca informou ter realizado o depósito de 20% da receita corrente mensal para o pagamento dos credores.

O clube se baseou na “Lei do Clube-Empresa”, Nº 14.193/2021, a Sociedade Anônima do Futebol, para se proteger da incidência de penhoras sobre dívidas cíveis e trabalhistas.

Jorge Braga Botafogo Jorge Braga ajuda o Botafogo a arrumar a casa (Foto: Vitor Silva/Botafogo)

– O Botafogo dá um importante passo no equacionamento de suas dívidas e mostra responsabilidade à Justiça e aos credores com os compromissos firmados. É uma demonstração clara para sócios, torcedores, colaboradores, credores e investidores da seriedade e compromisso desta gestão, e da viabilidade do BFR – afirmou o CEO Jorge Braga ao site oficial do Glorioso.

Relacionadas

Publicidade

A situação financeira do Botafogo, entretanto, segue bastante delicada. Por acordo na Justiça, o clube separou o montante de 39 milhões para pagar salários até o fim do ano, mas há um limite máximo de 60 salários mínimos por funcionário.

MAIS! Botafogo adota novo protocolo e conta com apoio da torcida

Assim, o Alvinegro está acumulando as obrigações acima do limite, bem como direitos de imagem e gastos com rescisões. Este valor pendente a cada mês chegaria a um milhão de Reais.

Comentários